MP defende ICMS em energia solar e Fecomércio faz apelo a deputados

Notificação pede ao governador para recorrer ao Judiciário se veto for derrubado por deputados; deputado vê arbitrariedade do Estado em taxação

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, José Antônio Borges, encaminhou na segunda-feira (28) uma notificação ao governador Mauro Mendes (DEM) para que ajuíze uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) se a Assembleia Legislativa derrubar o veto integral ao projeto de lei complementar 18/2021.

De autoria do deputado estadual Faissal Calil (PV), a lei prevê isenção de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) na produção de energia solar em Mato Grosso até o dia 31 de dezembro de 2027.

No entendimento do MP, o Governo está “obrigado” a seguir a determinação do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) no que diz respeito à exigência da cobrança do ICMS sobre o uso da rede de distribuição elétrica, por parte dos consumidores que tem energia solar em casa.

O veto do Executivo está programado para entrar na pauta de votação da sessão ordinária de quarta-feira (30), antes de o Legislativo entrar em recesso.

Arbitrariedade estatal

Em entrevista à imprensa nesta terça-feira (29), o deputado Faissal Calil criticou a iniciativa do Ministério Público.

“Eu li a recomendação e entendo que o Ministério Público foi induzido ao erro. Lá, diz que nos estamos concedendo uma isenção sem autorização do Confaz. Essa isenção já está prevista em lei desde 2019. Tanto é verdade que não foi cobrado em 2020 por falta de previsão legal e não pode ser cobrado agora em 2021”, argumenta.

O parlamentar ainda criticou o governador Mauro Mendes, pelo que classifica de criação de impostos abusivos e sem amparo legal.

“O governo está patrocinando um ato arbitrário, criando impostos na calada da noite e não respeitando os princípios da legalidade, anterioridade e da anterioridade nonagesimal do direito tributário. Ninguém pode ser pego de surpresa com novas cobranças como estamos sendo agora em 2021”, concluiu.

Comércio faz apelo a deputados

A Federação do Comércio de Mato Grosso (Fecomércio) encaminhou ofício ao presidente da Assembleia Legislativa do estado, Max Russi (PSB), e demais parlamentares, solicitando a derrubada do veto do governador, Mauro Mendes (DEM), em relação ao projeto de lei que altera o artigo 37 da Lei Complementar nº 631/2019.

O PL isentaria o consumidor da cobrança de ICMS sobre a geração da própria energia elétrica a partir de fontes renováveis até dezembro de 2027, a chamada energia solar.

A cobrança já vem ocorrendo desde março e tem gerado uma arrecadação do estado na ordem de R$ 3 milhões. A alteração do artigo da lei visa corrigir o texto que concedeu a isenção em 2019.

Para a federação, o acréscimo tributário desestimularia investimentos no setor e, consequentemente, ocasionaria o aumento do desemprego.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDaniel Silveira paga fiança de R$ 100 mil e deve ser solto em breve
Próximo artigoJames Corden é acusado de racismo contra asiáticos por quadro do Late Late Show; entenda