MP aceita flexibilização

Promotor disse que não vai recorrer ao Judiciário diante da reabertura do comércio em Cuiabá e Várzea Grande

O promotor Alexandre Guedes está à frente de duas promotorias: da saúde e do idoso (Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Ministério Público de Mato Grosso (MP) não vai recorrer da flexibilização na quarentena das atividades econômicas em Cuiabá e Várzea Grande. Negócios – mesmo os “não essenciais” – voltaram a abrir nesta segunda-feira (27), após modificação do decreto estadual nº 522/2020.  

O promotor de Justiça da área da saúde, Alexandre de Guedes, corroborou a posição do juiz José Luiz Leito Lindote, de que a posição do governo do Estado tem maior força na normatização das regras. 

Guedes afirmou, em nota, que a intervenção do Ministério Público foi necessária “em determinados momentos em razão da incapacidade de Cuiabá e Várzea Grande estabelecerem medidas uniformes conforme decreto estadual”. 

As ações ajuizadas para o cumprimento da quarentena obrigatória na Grande Cuiabá foram para a aplicação de medidas sanitárias. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno de MT pede que STF declare inconstitucional lei de auxílio financeiro a professores
Próximo artigoCaixa autoriza mais dois meses de pausa em financiamentos imobiliários