Motorista denuncia funcionário da Semob por cobrar R$ 1 mil para liberar sua moto apreendida

Suspeito foi demitido após descoberta do golpe

Um homem de 51 anos registrou um boletim de ocorrência nessa terça-feira (17) acusando um funcionário da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) de Cuiabá de cobrar R$ 1 mil para liberar uma motocicleta. O veículo havia sido apreendido em uma blitz por falta de pagamento da documentação obrigatória.

Conforme o boletim de ocorrência, a vítima teve sua motocicleta apreendida e somente após passados dois meses foi até a Semob para tentar recuperá-la.

Na secretaria, ele foi informado que precisava pagar a documentação e as multas primeiro, depois, voltar e retirar o boleto referente aos dias que a motocicleta ficou no pátio da Semob.

O funcionário responsável por retirar as senhas e orientar as pessoas que chegavam ao local, porém, foi até a vítima e informou que o custo para ele recuperar a motocicleta chegaria a R$ 3,7 mil. Ele propôs, então, que o dono do veículo lhe desse R$ 1 mil para ele mesmo conseguir liberar a moto.

O homem deu um contato para a vítima e esta ligou para ele. Por telefone, o funcionário disse que um gerente e o próprio secretário Antenor Figueiredo também estariam envolvidos no esquema.

No dia 11 de março, a vítima aceitou a proposta e pagou os R$ 1 mil. Segundo o boletim de ocorrência, o funcionário da secretaria afirmava que esse dinheiro seria para pagar o funcionário do pátio, o tal gerente e o secretário.

A promessa era que na sexta-feira (13) o documento estaria pronto e a vítima poderia sair com o veículo.

A vítima foi até a Semob na data marcada e o funcionário lhe disse que levaria a motocicleta para casa dele, onde o proprietário do veículo poderia retirá-la no sábado (14). O homem, então, forneceu um endereço.

No dia seguinte, a vítima foi até o local, mas o suspeito não estava lá.

Na segunda-feira (16), o dono do veículo voltou à Semob e encontrou o suspeito, que dessa vez disse que estaria com a motocicleta às 17h30. Nesse momento, a vítima percebeu que havia sido vítima de um golpe.

Nessa terça-feira (17), por volta das 10 horas, ele foi novamente até a Semob e contou tudo que havia acontecido a outros funcionários. Todos negaram a possibilidade de ele reaver o veículo da forma como lhe havia sido prometida.

Já o homem que havia dado o golpe não tinha ido trabalhar nesse dia.

Desde então, a vítima já não consegue contato com o funcionário. Agora, ele registrou um boletim de ocorrência contando todo o ocorrido. O caso deverá ser investigado pela Polícia Judiciária Civil.

O que diz a Semob?

Em nota, a secretaria informou que o funcionário citado pela reportagem nunca atuou como agente de trânsito ou fez parte do quadro de colaboradores da Semob, mas sim era funcionário da empresa Rodando Legal, que presta serviço para a secretaria de Mobilidade Urbana.

Após o ocorrido, no entanto, ele foi desligado na empresa terceirizada.

A Semob afirmou ainda que refuta qualquer tipo de participação de seus servidores nesse tipo de negociata e assegurou que tomará as providências de ordem judicial cabíveis.

Por fim, a secretaria repudiou a situação ocorrida e orientou o cidadão a não realizar negociações dessa natureza, mas sim denunciar, de imediato, junto a própria Semob e registrar um boletim de ocorrência.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Por fim seria funcionário da empresa Rodando Legal, mas colocar funcionário da Semob e foto de um agente de trânsito chama muito mais atenção pra uma matéria ruim né? Menos sensacionalismo. Mais conteúdo por favor.

  2. Manchete sensacionalista, tentando colocar o agente de trânsito como corrupto, só pra ganhar visualização. Adeque a manchete da notícia, pois se trata de um funcionário da empresa TERCEIRIZADA.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTeatro on-line? Quarentena faz grupo apresentar peças no YouTube
Próximo artigoDiagnóstico mais rápido: laboratório em Cuiabá realizará exames de confirmação do coronavírus