Mostra na UFMT exibirá 41 filmes produzidos por universitários

O Auditório do Centro Cultural da UFMT sedia as sessões da mostra realizada pelo Cineclube Coxiponés

O Cineclube Coxiponés fica no Centro Cultural da UFMT (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Às 19 horas desta segunda-feira (25), o Auditório do Centro Cultural da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) vai sediar as atividades da Mostra de Audiovisual Universitário e Independente da América Latina, a edição 2019 da Maual.

Ao todo, 41 curtas serão exibidos no festival realizado pelo Cineclube Coxiponés: 11 deles, de realizadores mato-grossenses. Na lista figuram documentários, experimentais e ficções.

Durante os dias da mostra, haverá discotecagem e performances artísticas no saguão do Centro Cultural, a partir das 18h30; seguidas das sessões de cinema, com entrada e pipoca gratuitas.

A classificação indicativa será de 16 anos (válida para a segunda, terça, quarta e sexta-feiras) e 18 anos (na quinta-feira).

Os curtas exibidos na Mostra Competitiva concorrem ao Troféu da Maual 2019 pelo júri oficial e popular.

Encontros de cineclubistas

Durante o período da tarde, haverá o Encontro da Rede Cineclubista de Mato Grosso (REC-MT), que reunirá ativistas do audiovisual mato-grossense que desenvolvem, em diferentes cidades do Estado, atividades de estímulo à difusão, pesquisa, memória e realização audiovisual.

Aulões matinais

Uma novidade desta edição serão os “aulões matinais”, com conversa com realizadores audiovisuais baseados em Mato Grosso, entre 25 e 29 de novembro, no período matutino.

Na segunda-feira, o cineasta Amauri Tangará faz um panorama de seus trabalhos audiovisuais. Já na terça-feira é a vez do diretor de fotografia Marcelo Biss compartilhar com os participantes do aulão sua trajetória de 35 anos no audiovisual.

Na sequência, tem Marcelinho Editor, que conta sobre as técnicas de finalização de som e imagem.

Na quinta, a realizadora audiovisual e coordenadora da Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso Juliana Segóvia aborda o protagonismo feminino e resistência no audiovisual.

Finalizando os aulões, a realizadora e professora do ECCO/UFMT, Marithê Azevedo, apresenta um panorama sobre os cinemas periféricos e o modo como estas tendências se organizam em relação ao cinema hegemônico hollywoodiano.

Consulte a lista de filmes, sinopses e programação completa pelo site da Mostra: www.mostrauniversitariaufmt.com

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior5 atores de filmes de super-herói que acabaram em papeis diferentes do que queriam
Próximo artigoMais de 30 lojas do Shopping Popular participam da Black Weekend