Mortes em casa por causas respiratória e cardíaca bateram recorde em MT

Somente em fevereiro deste ano, a Anoreg já registrou 1,3 mil mortes, número que bateu todas as médias desde 2003

(Foto: Ednilson Aguiar/O LIVRE)

Mortes por causas respiratórias e cardíacas bateram recorde em Mato Grosso, no primeiro ano da pandemia. O Portal da Transparência de Registro Civil compila 20.478 óbitos, de março de 2020 a fevereiro deste ano. 

Esse foi o maior número para o período, desde a abertura da série de “Estatísticas do Registro Civil”, em 2003. A Associação dos Notários e Registradores de Mato Grosso (Anoreg) diz que o aumento foi acelerado pelo cenário de falta de leitos nos hospitais públicos e privados. 

Nos 12 meses da pandemia, houve 5.876 mortes a mais do que a média dos anos anteriores, desde 2003. Na comparação de março de 2019 a fevereiro de 2020, o aumento foi de 14,7%. 

Somente em fevereiro deste ano, os cartórios estaduais já registram 1.375 mortes em casa por causa respiratória e cardíaca. Em relação ao mesmo mês de 2020, houve 285 registros a mais (16,5%). Já na comparação a anos anteriores, desde 2003, a média de crescimento foi de 20,7%. 

Conforme a Anoreg, os registros nos meses de 2021 ainda podem aumentar, assim como a variação da média anual e do período, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre a morte e o lançamento da informação no Portal da Transparência. 

(Com Assessoria)    

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSindicato diz que servidores são excluídos da fila de vacinação em Cuiabá
Próximo artigoTaxa de ocupação de UTI para adultos chega a 97% em Mato Grosso