Vítimas da covid

A enfermeira Glaciela Corrêa e o médico Moysés Nadaf Filho, eram respeitados e reconhecidos em Cuiabá

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Morreram dois profissionais da saúde em Cuiabá neste final de semana, vítimas da covid-19. A enfermeira Glaciela Marques Corrêa, 43 anos, e o médico ginecologista e obstetra Moysés Nadaf Filho, eram profissionais respeitados e reconhecidos em Cuiabá.

Glaciela ficou 20 internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral. Ela trabalhou por 23 anos na Central de Material e Esterilização do antigo Pronto Socorro, que se transformou no Hospital Referência à Covid-19.

Ela morreu na tarde deste sábado (25), e o cortejo de seu corpo passou em frente ao hospital onde a enfermeira trabalhou por duas décadas.

Já o médico Moysés Nadaf Filho, morreu na manhã deste domingo (26) depois de ter ficado internado em uma UTI em um hospital particular, em Cuiabá. Moysés trabalhava no Hospital Geral e no Universitário Júlio Muller desde a década de 80.

Ele respirava com ajuda de aparelhos e acabou não resistindo as complicações da doença e indo a óbito. Há uma semana o pai do médico também morreu vítima da doença, com 93 anos de idade.

O Hospital Geral publicou nota em suas redes sociais com a seguinte frase: “atento aos mínimos detalhes e ajudando nos momentos em que mais precisamos, Dr. Moyses nos acolhia através das suas conversas e ensinamentos diários”.

Em nota, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro lamentou a morte dos profissionais da saúde. “É com imensa tristeza que recebemos duas tristes notícias, num mesmo fim de semana, de dois importantes profissionais, que contribuíram e muito com o município na luta contra esse inimigo invisível”, lamentou.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMorre prefeito de Alto Taquari vítima de covid-19
Próximo artigoVídeo| Cuiabanos ignoram pandemia e fazem aglomeração na Praça Popular