Miss MT sofre abuso sexual e é negligenciada ao denunciar

O abuso aconteceu em Rondonópolis e, segundo Ingrid Cristina Santin, ao procurar a Delegacia da Mulher para denunciar, o descaso a fez sentir-se humilhada

Ingrid foi miss Mato Grosso em 2019

“Eu sou Ingrid Santin e no dia 26/04/2020 eu fui molestada”, assim começa o vídeo publicado pela miss Mato Grosso 2019 Ingrid Cristina Santin, 26 anos, nesta segunda-feira (27).

Em seu perfil no Instagram ela denuncia que, nesse domingo (26), ela foi perseguida e abusada sexualmente por um homem no Bairro Granville, em Rondonópolis (220 km de Cuiabá).

O abuso sexual não foi o único sofrimento da jovem. Ao tentar denunciar, ela procurou a Delegacia da Mulher e afirmou, ainda no vídeo publicado, que foi negligenciada pela policial que a atendeu, que, a princípio, diz a miss, nem mesmo queria registrar o boletim de ocorrência.

Ela resolveu publicar o vídeo em seu perfil no Instagram para que os dois episódios possam ser compartilhados e o depoimento possa ajudar mais vítimas.

“Estou gravando esse vídeo a pedido de muitas meninas e mulheres que me mandaram [mensagens] no Instagram para que esse vídeo possa ser compartilhado”, disse.

O crime

Segundo o relato de Ingrid, ela estava a caminho da casa da irmã, entre as 15h30 e 15h50, e trafegava em sua motocicleta Honda Biz quando percebeu que estava sendo seguida por um motociclista.

Ela tentou ultrapassar uma caminhonete que estava à sua frente para que fosse ajudada, mas não conseguiu.

Ao virar da Rua TV2 para a Avenida Maria Martins Fontoura, o suspeito se aproximou de Ingrid e, com as duas motocicletas em movimento, pegou no meio das pernas dela, tocando no órgão genital dela.

“O indivíduo se aproximou, ficou bem do meu lado e colocou a mão entre as minhas pernas, nas minhas partes íntimas e apalpou”, contou Ingrid, em meio a lágrimas.

Em desespero, ela puxou a moto para o lado e começou a gritar e buzinar, mas não havia ninguém na rua.

“Aí ele continuou acelerando e virou na rua seguinte. Eu estava muito desesperada e com muito medo e continuei acelerando até a casa da minha irmã”, relatou a jovem.

Denúncia

Nesta segunda-feira (27), Ingrid procurou a Delegacia da Mulher de Rondonópolis para denunciar o caso, mas, ao invés de acolhimento, a miss Mato Grosso afirmou ter encontrado humilhação.

“Hoje eu fui fazer o boletim de ocorrência, fui até a Delegacia da Mulher e me senti extremamente humilhada. Hoje eu percebi porque tantas mulheres talvez não denunciam, ou quando denunciam acontece algo depois. Infelizmente eu percebi um sistema que não é efetivo”, lamentou.

Segundo Ingrid, ao procurar a delegacia e relatar que queria registrar o boletim, foi questionada se tinha a placa da motocicleta do suspeito.

“Eu falei que não, que na hora do desespero eu não tive essa reação de identificar a placa, mas que eu identificava a moto, a roupa do suspeito. E ela me disse que não poderia registrar o boletim de ocorrência sem a placa da moto, porque não faria sentido, não teria como identificar o suspeito”, contou Ingrid.

Em tom de revolta, a miss questionou no vídeo: “Sou eu cidadã e vítima que tenho que identificar a placa e o suspeito? Sou eu que tenho que ir atrás? Ou isso é obrigação e dever da polícia?”.

O boletim de ocorrência, por fim, foi registrado, após insistência de Ingrid. Segundo ela, a intenção ao fazer o registro era que se o suspeito já tiver feito outras vítimas, o modus operandi seja reconhecido, ajudando a identificá-lo.

Mais tarde, porém, ela conseguiu acesso a imagens de câmeras de segurança que mostram o suspeito a perseguindo e que ajudaram a identificá-lo.

Com lágrimas nos olhos, Ingrid disse que tudo que passou a fez pensar nas mulheres que sofreram ainda mais que ela ao passar por um abuso. E lamentou, também, não se sentir socorrida pela polícia.

“Não me sentir protegida pelas pessoas que são responsáveis pela segurança da nossa cidade e do nosso país é realmente triste. É um grito que vem dentro de mim por justiça e por desespero, porque eu me senti extremamente humilhada e decepcionada com o sistema”.

Suspeito identificado

No início da noite desta segunda-feira (27), Ingrid publicou em seu Instagram que, com a ajuda do tenente coronel da Policial Militar Handson Freitas Farias, o suspeito de tê-la molestado já foi identificado.

Segundo a miss, o acusado já tem passagens pela polícia por masturbar-se em via pública na frente de mulheres.

Agora, com a identificação, ela aguarda que ele seja encontrado e preso.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Ingrid Santin (@ingridcsantin) em

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolítico indonésio prende pessoas em ‘casas assombradas’ por violar regras da quarentena
Próximo artigoEstudantes do IFMT pedem lâminas de acrílico para continuar a fazer máscaras