Ministro quer trabalhar com indígenas para solucionar problemas logísticos em MT

Entre eles estão a BR-158, na reserva Suiá Missú, e a BR-242, também na reserva do Xingú

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ao lado do deputado federal de Mato Grosso, José Medeiros (Podemos), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, garantiu trabalhar com indígenas para solução de problemas logísticos em Mato Grosso.

Entre eles estão a BR-158, na reserva Suiá Missú, e a BR-242, também na reserva do Xingú.

O atual traçado na BR-158 passa por Suiá Missú/Marãiwatsédé, em Novo Mundo (distante 813 km de Cuiabá) e foi colocada no rol das prioridades nacionais pela administração Jair Bolsonaro (PSL).

Neste momento, as pontes de madeira da estão sendo trocadas por pontes de concreto.

Já o atual traçado da BR-242 corta a reserva do Xingú (Nova Ubiratã e Querência).

O ministro também destacou que a Mato Grosso vai receber a Ferrovia de Integração do Centro Oeste (Fico), de Mara Rosa (GO) a Água Boa (MT). O trecho será construído pela Vale e entrou na renovação do contrato de concessão do trecho Minas x Vitória (ES).

Já a Ferrogrão de Miritituba (PA) a Sinop (MT) deve ser licitada em 2020.

Na parte Sul do Estado, o ministro disse que o governo trabalha na renovação da concessão da malha paulista com a Rumo Logística. A medida deve acelerar o processo de transporte de 22 milhões de toneladas de carga até o Porto de Santos.

Medeiros fez um pedido especial de manutenção da BR-174, no Oeste do Estado, o ministro disse que vai trabalhar para fazer uma manutenção para retomar a trafegabilidade da estrada e a União já pensa na pavimentação da rodovia.

Já na BR-163, a União deve fazer um novo processo de licitação. Uma lei de 2017 permite a relicitação e quebra de contrato amigável por grupo em dificuldade financeira. Segundo o ministro, isso vai proporcionar um novo modelo de administração.