Ministro diz que quase viajou a Cuiabá para “testar” resistência do coronavírus ao calor

Durante entrevista coletiva, Mandetta brincou com o calor da cidade

Durante entrevista coletiva nesta quarta-feira (25) o ministro Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que quase veio para Cuiabá com a chegada do novo coronavírus no país.

Segundo o ministro, a capital mato-grossense demorou a registrar os primeiros casos da doença. E chegou a se perguntar, “será que esse vírus não gosta de calor?”.

“Eu quase fui para lá. Cuiabá demorou a registrar os primeiros casos. Já pensou se esse vírus não gostasse de calor? Cuiabá estaria bem”, comentou.

“Sempre, nas minhas orações, esperando uma vacina, um medicamento, esperando o sol tropical. Porque se esse vírus não gostar de sol, lá em Cuiabá não vai ter casos. Mato Grosso demorou um tempão, eu fiquei achando que era o calor de Cuiabá, a minha eterna capital. Mas, infelizmente, o calor de Cuiabá ainda está ali e o vírus também, já teve casos confirmados”, completou.

Até ontem (24), a secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso havia divulgado a existência de sete casos confirmados e 269 suspeitos. O secretário Gilberto Figueiredo reconheceu que já existe a transmissão comunitária do coronavírus em Mato Grosso.

Realidades diferentes

Na ocasião o ministro disse que cada estado tem uma realidade diferente, que está muito preocupado com a região Sul do país onde a população é mais idosa. “Eu tenho uma preocupação enorme com os estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul onde a população é mais idosa. Já no Amazonas nós temos os mais jovens, então as medidas a serem tomadas tendem a ser diferentes”, disse.

No Brasil o número de mortes subiu para 57 hoje e o de suspeitos passam de 2,4 mil. São Paulo e Rio de Janeiro liberam o ranking. De ontem para hoje também foram registradas as primeiras mortes no Amazonas, Rio Grande do Sul e Pernambuco.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDiretor de O Poço fala sobre a trama e as mensagens do filme
Próximo artigoAcompanhamento social

O LIVRE ADS