Ministro cita crise interna e orienta municípios a não negociar doses extras de vacina

Ministério da Saúde enfrenta pressão de Estados que buscam acordos paralelos por avaliação de demora em cronograma nacional

(Marcelo Camargo / Agência Brasil)

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, orientou os prefeitos a não negociar a compra de doses extras de vacina para impulsionar a campanha nacional de imunização contra a covid-19. 

Segundo ele, a fragmentação de compras por unidades federais pode criar uma crise interna e atrapalhar a condução da vacinação. A declaração foi feita durante reunião com prefeitos nessa sexta-feira (19).

“Se fizermos separações de locais que têm competência para comprar e outros que não têm, vamos criar uma crise interna muito grande de Estados que seguem uma linha e outros que não seguem. Quem estiver negociando, manda aqui para mim que a gente compra”, disse. 

Esta semana o governador Mauro Mendes anunciou avanço na negociação de compra de 1,5 milhão de doses de laboratórios a quem apresentou intenção de acordo há quase um mês. Dois deles estão na China – o Sinovac, produtor da CoronaVac, e o Sinopharm, que até o momento está sendo usada apenas em chineses. 

Mendes faz parte do grupo de governadores que vê demora em ação do Ministério da Saúde para avanço da campanha. Outros 17 Estados buscam negociação direta com laboratórios. 

No caso de Mato Grosso, o governador afirmou na quinta-feira (18) que aguardava aval do ministro da Saúde até este fim de semana para dar prosseguimento à compra. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRio afasta técnica de enfermagem que teria aplicado “vacina de vento”
Próximo artigoEscola usa até carro de som para divulgar datas para retirar apostilas