Ministra mantém investigação de propina contra cinco conselheiros do TCE

Carmen Lúcia, do STF, indeferiu pedido do conselheiro José Carlos Novelli, que assumirá o comando do tribunal em 2022

(Reprodução: Tony Ribeiro/TCE-MT)

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmen Lúcia, manteve a investigação da Polícia Federal contra os cinco conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE) suspeitos de recebimento de propina na gestão do ex-governador Silval Barbosa (sem partido). 

O conselheiro José Carlos Novelli, um dos investigados, tentava derrubar a validade do inquérito policial. A investigação foi instaurada ainda em 2017, com base em informações delatadas por Silval em acordo assinado com a Procuradoria Geral da República (PGR). 

A decisão de indeferimento foi publicada nesta terça-feira (16) pelo gabinete da ministra Carmem Lúcia, com texto resumido do resultado da análise. O texto com o teor completo ainda não está disponível. 

Ao todo, cinco conselheiros foram afastados dos cargos em 2017 – José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Antônio Joaquim, Valter Albano e Walter Teis. Ao longo de 2021, todos eles foram reintegrados ao pleno. 

As decisões a favor foram concedidas considerando a argumentação das defesas de que já se passou muito tempo de afastamento sem que o inquérito tenha avançado para incriminar ou inocentá-los. 

Os cinco conselheiros são citados por Silval Barbosa como destinatários de cerca de R$ 54 milhões em propinas. Em troca, eles teriam aprovado contas do governo, principalmente as referentes às obras da Copa do Mundo de 2014. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIPVA zero até 150 cilindradas
Próximo artigoSegurança na rede: saiba como ficar conectado de forma segura