Ministério Público pede que TRE mantenha a cassação de Selma

Procurador pede que recurso de Selma não prospere, mas reconhece a existência de um cheque fraudado entre documentações

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O procurador regional eleitoral Pedro Melo Pouchain Ribeiro, do Ministério Público Eleitoral, pediu que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) mantenha a cassação da senadora por Mato Grosso, Selma Arruda (PSL), acusada de ter cometido caixa dois e abuso de poder em sua campanha.

O pedido consta nas contrarrazões apresentadas pelo procurador ao TRE-MT na sexta-feira (17), em um recurso à decisão, protocolado por Selma e seus suplentes, Gilberto Possamai e Clérie Fabiana Mendes, com o objetivo de tentar reverter a decisão que determinou a cassação da chapa.

No recurso protocolado, a defesa da senadora alegou diversas omissões e contradições que teriam sido cometidas pelo juízo quando da decisão. A exemplo, pedem juntada de novos documentos, como a declaração de imposto de renda da senadora, com o objetivo de provar que o empréstimo feito por Possamai à Selma Arruda, no valor de R$ 1,5 milhão, seria lícito. Ainda, questionam a omissão de testemunhas e a existência de um cheque que já teria sido comprovadamente fraudado.

Em seu parecer, o procurador eleitoral foi contra o pedido de inserção de novos documentos, alegando que não há justificativa para se permitir a inclusão dos papéis nessa fase da ação, uma vez que “os embargantes tiveram oportunidade de se manifestar ao longo de toda a instrução processual, no intuito de juntar os supostos documentos que comprovassem suas teses, entre as quais a licitude dos recursos e dos gastos”.

De acordo com o procurador, dos fatos alegados pela defesa, apenas um deveria ser contemplado. Trata-se da menção de um cheque que teria sido fraudado, e que foi considerado pelo desembargador Pedro Sakamoto, relator do processo.

O documento, que tem valor de R$ 29,9 mil, seria fruto de fraude e, portanto, o Ministério Público pediu que ele seja desconsiderado. Ainda assim, segundo o procurador eleitoral, o valor é ínfimo perto da quantia que Selma Arruda teria “usado de forma ilícita” em sua campanha. Por isso, pediu que “deve-se manter inalterado o mérito da decisão”.

LEIA TAMBÉM

Caixa 2: Selma diz que decisão do TRE teve vícios e influência política 

Selma Arruda diz que centrão prepara impeachment de Jair Bolsonaro

Selma dá parecer favorável a PEC que pode barrar venda da pílula do dia seguinte

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFlagrado furtando padres, ladrão é rendido por fiéis
Próximo artigoVídeos: após colisão entre barcos, jovem desaparece em rio

O LIVRE ADS