Mínima de 11ºC: albergues já não têm vagas para abrigar quem vive nas ruas

Para quem não encontrou uma vaga, prefeitura e governo do Estado estão distribuindo cobertores e chocolate quente

(Foto: João Reis/Setasc)

Com a chegada do frio, os albergues em Cuiabá estão lotados (ou com quase nenhuma vaga disponível). Quatro unidades são mantidas pela Prefeitura na Capital.

Na unidade do Porto – onde 48 pessoas estão acolhidas – a lotação está completa. Manoel Miraglia, outro albergue municipal, ainda possui vagas para três homens e uma mulher.

E como a previsão do tempo aponta que o clima deve continuar assim, pelo menos, ao longo do fim de semana, a preocupação se volta para as pessoas em situação de rua.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Cuiabá registrou a madrugada mais fria do ano – 11ºC – nesta sexta-feira (21).

Prefeitura e governo do Estado, então, passaram a distribuir cobertores a quem não tem onde se abrigar.

Os termômetros ainda marcavam 13°C quando as pessoas que vivem em situação de rua, começaram a receber os cobertores na Capital. Também foram distribuídos leite com chocolate e pão.

O material foi entregue pelo programa “Aconchego”, do governo do Estado. Foram visitadas locais como o Beco do Candeeiro, Praça Ipiranga e o Porto.

LEIA TAMBÉM

“O frio pegou a gente de surpresa e é muito ruim para quem vive na rua e depende da ajuda do próximo. Só posso agradecer”, disse Cleia Lima dos Reis.

Para Wanderleia Fernandes, que passa pela mesma situação, as doações aquecem também o coração.

“Somo esquecidos e qualquer ajuda que vier é muito bem recebida. O cobertor e o chocolate quente aquecem nosso coração”, disse.

Previsão do tempo

As temperaturas devem ficar baixas até o domingo (23), quando Cuiabá deve registrar 16ºC. No sábado, a miníma é de 10ºC, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec).

A temperatura deve voltar a subir já na segunda-feira (24). A previsão é que os termômetros alcancem 39ºC.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPM e entidades fazem blitz “Unidas Pela Vida” pelo fim da violência contra a mulher
Próximo artigoCuiabana de 100 anos vence a covid após dez dias internada