Micro e pequenas empresas lideram ranking dos pedidos de recuperação judicial

Mais de 850 bateram na porta do Judiciário reconhecendo: não tinham mais condições de pagar as contas

(Foto: Pixabay)

As micro e pequenas empresas são as que mais passam dificuldades financeiras no país, daquela que chegam ao ponto de não ser mais possível dar continuidade às atividades. Só no ano passado, 851 delas apresentaram pedidos de recuperação judicial no Brasil.

Os dados são do Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações Judiciais, que aponta também, entretanto, que o número de pedidos desse tipo à Justiça teve uma queda de 1,5% no ano passado.

No total, foram 1.387 requisições, sendo que, em 2018, o número registrado foi de 1.408.

LEIA TAMBÉM

Depois das micro e pequenas empresas, as médias foram as que mais recorreram ao Judiciário para continuar existindo. Das solicitações de recuperação judicial, 309 partiram delas.

Mas se de um lado as grandes empresas aparecem no final da lista, de outro, elas foram as únicas que apresentaram aumento na quantidade desses pedido de 2018 para 2019.

No ano passado, 227 delas reconheceram não ter mais condições de manter pegar as dívidas.

O setor de serviços foi o que registrou maior volume de pedidos, com 598 solicitações. Veio seguido do comércio, com 349, e da indústria, que registrou 271.

No comparativo mês a mês, dezembro foi o que mais teve casos desse tipo. As recuperações judiciais aumentaram 7,2% nesse período.

(Com informações da Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComo enviar dinheiro para fora do país de forma segura
Próximo artigoCota para estudantes trans: três universidades reservaram 140 vagas no Sisu

O LIVRE ADS