Metade do dobro? 62% dos brasileiros já começou pesquisas de preços para a Black Friday

Levantamento do Reclame Aqui mostra que os consumidores estão ficando mais espertos, segundo especialistas no assunto

Tudo pela metade do dobro do preço? Talvez não neste ano. Uma pesquisa realizada pelo site Reclame Aqui mostrou que 62% dos consumidores já estão fazendo pesquisas para se preparar para as promoções da Black Friday

O levantamento ouviu 2,5 mil consumidores entre 28 de outubro e 4 de novembro. E, para especialistas, mostra que o brasileiro está mais esperto. Além disso, pretende começar as compras já na noite de quinta-feira, ou seja, na véspera da Black Friday, que ocorre no dia 27 de novembro.

Entre tendências e expectativas, a Black Friday de 2020 deve superar as vendas do ano passado. A previsão foi apontada pelo Google com base nas pesquisas dos internautas.

Desde agosto, o volume de buscas por produtos à venda está em patamares mais elevados do que os registrados em 2019. Segundo a companhia, a previsão indica o forte potencial da edição deste ano.

Para se ter uma ideia, categorias como “móveis e decoração”, que foram as campeãs de busca na sexta-feira de ofertas de 2019, estão sendo procuradas de 22% a 51% a mais que no ano passado. E até setores que não registraram picos na Black Friday, como “alimentos e bebidas”, estão com buscas 40% e 23% acima do verificado no ano anterior.

Compras online

“A Black Friday deste ano pode ser a maior da história em termos de volume, de quantidade de pedidos e de crescimento em relação ao ano passado. Também é esperado que tenhamos muitos novos consumidores comprando pela primeira vez em canal digital”.

A fala é do vice-presidente de uma multinacional que desenvolve soluções tecnológicas para comércio eletrônico, Felipe Dellacqua. Segundo ele, em 2020, cerca de 5 milhões de consumidores compraram pela internet pela primeira vez.

De acordo com a Ebit Nielsen, empresa global de medição e análise de dados, as vendas online no país cresceram 47% no primeiro semestre, a maior semestral em duas décadas. É por isso que, para especialistas do setor, o varejo deve apostar as fichas na Black Friday, que já é a segunda data mais importante do ano para o setor, só atrás do Natal.

A previsão da empresa é de que as vendas online da Black Friday 2020 devem crescer 27% em comparação com a data de 2019.

“Com certeza, as pessoas farão compras no varejo físico, mas o digital deve atrair maior volume de compras neste ano porque muitas pessoas estão evitando tumultos e filas em lojas devido ao coronavírus. Além disso, vários estabelecimentos estão com limitação da público. Isso faz com que o canal digital seja a preferência dos consumidores”, crava Felipe.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAcordo de leniência: Caramuru Alimentos pagará R$ 15 milhões de multa ao Estado
Próximo artigo10 milhões de views: cuiabano faz remix com tema de jogo e viraliza