Mesmo com plenário invadido, deputados votam projetos nesta terça

Caso servidores permaneçam no plenário, o regimento da AL permite que a sessão seja realizada em outro local

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Mesmo com o plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso ocupado por servidores, os deputados estaduais pretendem realizar a segunda votação do projeto que restringe o pagamento da revisão geral anual (RGA) e do novo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) ainda nesta terça-feira (22).

Segundo o deputado estadual Mauro Savi (DEM), caso os servidores permaneçam no plenário a sessão será realizada em outro local.

“Em reunião no governo chegamos ao entendimento de que vamos tentar conversar para que eles desocupem o plenário, mas se não houver entendimento o presidente vai marcar a sessão em outro lugar”, declarou o parlamentar, emendando que o local será decidido durante a reunião do Colégio de Líderes, que está sendo realizada neste momento.

O regimento interno da Assembleia Legislativa prevê que, em caso de impedimento, a sessão pode ser realizada fora do prédio Assembleia Legislativa, por decisão da Mesa Diretora.

“Em caso de guerra, calamidade pública ou ocorrência que impossibilitem o seu funcionamento na Capital do Estado ou no recinto normal dos seus trabalhos, a Assembleia Legislativa poderá reunir-se em outro local, por deliberação da Mesa Diretora, ad referendum da maioria absoluta de seus membros”, diz o artigo 2º do regimento.

Servidores querem negociar

A vice-presidente da Associação dos Docentes da Unemat (Adunemat), Edna Sampaio, declarou que o Fórum Sindical está reunido com o presidente da Casa, Eduardo Botelho (DEM), na tentativa de negociar a desocupação da Assembleia.

Os servidores pedem a retirada imediata da pauta de votação os projetos da RGA e da criação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Estado, bem como pretendem implementar mudanças no conselho do MT Prev e na proposta de reforma administrativa.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorProtestos violentos tomam conta de Caracas e cidades da Venezuela
Próximo artigoMeninas são autoras de 42 das 55 melhores redações do Enem