Mercado do Porto vai ser reformado e ampliado ainda este ano, diz prefeitura

Projeto está orçado em R$ 14,1 milhões sendo contemplado com recursos federais e municipais

Foto: Divulgação

Anunciada como obra para os 300 anos de Cuiabá, a ser comemorado no dia 7 de abril de 2019, a reforma e ampliação do Mercado do Porto deverá começar ainda este ano, segundo a prefeitura de Cuiabá. Isso porque o edital de licitação para contratação de empresa de engenharia já foi publicado no Diário Oficial de Contas nesta terça-feira (25).

Localizado às margens do córrego Oito de Abril, a obra do mercado “Antônio Moisés Nadaf” será elaborada pelo Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano (IPDU), responsável pela reforma e ampliação do local. A reforma prevê novas instalações hidráulicas e elétricas, ampliação do espaço de atendimento interno, aumento do número de vagas de estacionamento e melhorias urbanísticas.

Ao todo, o projeto está orçado em R$ 14,1 milhões sendo contemplado com recursos do Ministério do Turismo, Ministério da Agricultura e Ministério da Integração Nacional, por emendas da bancada federal e da própria Prefeitura de Cuiabá. O prazo de entrega está estimado em 12 meses.

Conforme o projeto, o novo mercado terá aumento em seu espaço correspondente a quase 6,8 mil m². O objetivo é transformar a região em um grande complexo turístico-comercial com uma extensa praça de alimentação e uma quantidade de vagas de estacionamento significativamente maior, disponibilizando espaços específicos para motocicletas, ciclistas, carga e descarga e até mesmo ônibus turísticos.

[featured_paragraph]“A reforma do Mercado do Porto é um dos anseios mais antigos da população, uma vez que o local, que é fonte de sustento para inúmeras famílias, sofre com o descaso”, declarou o superintendente.[/featured_paragraph]

Atualmente o local é um dos mais visitados da Capital por turistas que buscam conhecer produtos regionais e agora redescoberto pelas novas gerações, gente que chega de madrugada para degustar caldos e outras iguarias, que ainda funcionam na hora do almoço, ou até mesmo para saborear um pastel com caldo de cana.

Inaugurado em 1995, pelo então prefeito José Meirelles, ocupa uma área de 26.480 metros quadrados da área do “Campo do Bode”, abrigando açougue, aves, peixes de todos os tipos, além de hortifrutigranjeiros, assim como lanchonetes e restaurantes.

(Com Assessoria)