Mercado das Pulgas celebra um ano com feira de vestuário no Metade Cheio

Com edições mensais, o projeto se consolida como um espaço para venda, escambo e consumo consciente

Os entusiastas do consumo sustentável comemoram um ano da feirinha de circulação de peças em segunda mão, que acontece mensalmente no café-bar-bistrô Metade Cheio. Domingo (22) chega com mais uma edição do Mercado das Pulgas com o tema “vestuário” que funcionam como um grande bazar, sendo válidas roupas, acessórios, calçados e afins, das 18h às 22h. A entrada e participação são gratuitas.

O projeto reveza as edições em dois temas: “vestuário” e “cacareco”. Nas edições “cacareco” a proposta é circular objetos, decoração, CD’s, livros, discos, brinquedos, louças, utensílios, antiguidades e demais variedades que não sejam do universo do vestuário. Assim, as edições se destacam pela especificidade.

“Renovação, sustentabilidade, consumo consciente. Valores de um estilo de vida mais leve, mais inteligente, cada vez mais repensado. O Mercado das Pulgas é um evento para isso, para girarmos os apegos materiais e fazê-los úteis aos próximos donos. Vamos inverter a lógica do jogo”.

O projeto também se destaca como um espaço livre para expositores que, interessados em participar, devem realizar uma pré-inscrição pelo e-mail [email protected] (nome completo, telefone para contato e breve descrição dos produtos, adequados à temática da edição), até a sexta-feira da semana do evento.

Estes, devem estar no local para a montagem às 17h, respeitando o horário de término das exposições. As negociações, que podem ser feitas por venda ou troca, são restritas a cada participante, bem como a responsabilidade pelos pagamentos. Saiba mais informações no EVENTO.

O Metade Cheio está localizado na Rua Cmte. Costa, 381, Centro Norte. Um café-bar-bistrô, uma lojinha-galeria, um espaço cultural, além de incubadora do coletivo de artes cênicas In-Próprio Coletivo e salão de cortes de cabelo Serve Cervi. Oferece estacionamento interno gratuito para clientes.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTaques diz que população só o rejeita por desconhecer seus feitos
Próximo artigoCuiabá 300 anos: o LIVRE foi atrás de saber em que fase estão os projetos – confira