Menino baleado pelo pai morre oito dias após tragédia

No dia 2 de março, o pai do pequeno Lucas atirou contra os dois filhos e em seguida se matou

O pequeno João Lucas Soares Diniz, de três anos, morreu na manhã desta terça-feira (10). Ele era, até então, o único sobrevivente da tragédia em que um pai, de 27 anos, atirou na cabeça dos dois filhos e, em seguida, se matou.

João Lucas havia sido transferido para o Hospital Municipal de Cuiabá e estava internado em estado grave. A informação da morte dele foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde.

O crime aconteceu no Bairro Morada do Sol, em Canarana (650 km de Cuiabá), no dia 2 de março. O pai das crianças havia acabado de sair da cadeia. Ele havia sido preso por agredir a mãe das crianças.

O crime

No dia do crime, o pai das crianças, Lucas Diniz da Silva, foi até a casa da avó materna de seus filhos. As crianças estavam lá e ele pediu para levá-los para dormir com ele, já que a mãe dos dois estava viajando.

Com as crianças em sua casa, Lucas começou a enviar mensagens ameaçadoras para a ex-esposa. Ele chegou a mandar a foto de uma arma e disse: “vou me vingar de forma terrível”, “vou te matar”.

Ao receber as ameaças, a mulher ficou desesperada e pediu que a avó das crianças chamasse a polícia. Ela assim o fez.

Uma equipe foi encaminhada à casa de Lucas e já encontrou a avó aos prantos. Ela havia acabado de ouvir o barulho dos tiros dentro da casa.

Os policiais entraram na residência e encontraram o pai e as duas crianças em cima de uma cama, todos com tiros na cabeça.

As crianças, a princípio ainda estavam com vida. A menina, de quatro anos, no entanto, morreu assim que chegou ao hospital.

O menino recebeu os primeiros-socorros, foi encaminhado para Água Boa e depois para Cuiabá, onde ficou internado até esta manhã, quando faleceu.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNesta terra, a dor é grande e a ambição pequena
Próximo artigoYoutuber PM que perdeu porte de arma já havia atirado em motorista de aplicativo