Mendes acusa Taques de usar construção de Pronto-Socorro para fins eleitoreiros

O pré-candidato ao governo pelo DEM, Mauro Mendes, acusou o governador Pedro Taques (PSDB) de tentar se apropriar indevidamente da obra do novo Pronto-Socorro de Cuiabá para obter ganhos eleitorais. A declaração do ex-prefeito se dá após Taques afirmar que as obras da unidade hospitalar só iniciaram em 2015, quando o governo fez um repasse de R$ 50 milhões.

Questionado por Taques sobre o motivo de ter demorado dar início à obra prometida durante campanha de 2012, o pré-candidato afirmou que batalhas jurídicas atrapalharam os trabalhos.

“Durante os primeiros meses  de gestão trabalhamos para viabilizar o local e escolhemos uma área da prefeitura ao lado do Centro de Eventos do Pantanal. Depois enfrentamos uma longa batalha jurídica para regularizar a área e nos livrar de pessoas que também reclamavam sua titularidade. Vencida esta etapa, contratamos a elaboração do projeto, sondagem e demais estudos, para em 2014 finalmente licitar a obra”, explicou Mendes.

O postulante pelo DEM reforçou que a razão de o Estado ter assumido compromisso de R$ 50 milhões e o município com R$ 30 milhões é o fato de a maior demanda no Pronto-Socorro de Cuiabá ser de pacientes do interior. “A obra já poderia estar concluída se não fossem os constantes atrasos no repasse do governo”, avaliou Mendes.

Mauro também disse que o governador precisa explicar por que os R$ 82 milhões destinados pela bancada federal ainda não foram aplicados na aquisição de equipamentos para o hospital.

“Ao invés de focar na pequenez de tentar se apropriar indevidamente  da obra para ganhos eleitorais, o governador precisa explicar à população porque ainda não repassou os R$ 18 milhões ainda faltantes dos R$ 50 milhões que tanto se vangloria de ter contribuído ao hospital”, disse.

Taques, por sua vez, como noticiado nesta segunda-feira (24), afirmou que o dinheiro foi utilizado para pagar as contas com os hospitais regionais, além do fato de que não compraria equipamentos antes de o Pronto-Socorro estar pronto.

De acordo com o governador, há cerca de 20 dias foi assinado um termo com o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) que regulamenta a compra dos equipamentos.

Mauro Mendes, confiante de que a população o torne governador, no entanto, fez questão de afirmar que tem a convicção de que a conclusão da obra e a aquisição dos equipamentos do hospital ficarão sob sua responsabilidade.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtor que fará Spock em Star Trek Discovery já foi definido
Próximo artigoPTB pode apoiar Taques