Médico denuncia diarista que se recusou a vestir uniforme para trabalhar e o xingou

Diarista teria afirmado ter sentido-se como palhaça e médico ter sentido-se constrangido

Imagem ilustrativa (Reprodução / Freepik)

Um médico de 39 anos registrou um boletim de ocorrência nessa segunda-feira (4) afirmando ter sentido-se constrangido ao ser confrontado por uma diarista, contratada para fazer serviços gerais em sua empresa, que se recusou a vestir um uniforme.

Segundo relato do médico, ele estava na clínica onde trabalha, no centro de Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), quando, em horário de atendimento, a diarista entrou na sala dele alterada reclamando de ter que usar o uniforme.

A mulher teria dito, segundo o médico, que estava “puro palhaça”. O médico, no entanto, afirmou que a reação da mulher era um fato isolado, pois todas as ex-diaristas haviam usado o mesmo uniforme sem fazer reclamações.

A mulher, porém, alterada, conforme relato do médico, começou a xingar o patrão, confrontando-o de forma grosseira e ríspida.

Ele pediu que ela se retirasse da clínica e tratasse do pagamento com o setor responsável da empresa. Mas, ainda assim, a mulher teria continuado a insultar o médico antes de se retirar.

Sentindo-se constrangido na frente dos pacientes e dos outros funcionários, o médico resolveu registrar um boletim de ocorrência denunciando a diarista por constrangimento ilegal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMulta de um salário mínimo
Próximo artigoLonge do Senado, Selma está politicamente ativa e disposta a ser “cabo eleitoral”

O LIVRE ADS