Médica picada por cobra é transferida para SP e família faz vaquinha para cobrir custos

Cobra desceu com a queda d'água e picou a médica Dieynne Saugo, que teve 70% das vias aéreas comprometidas

(Foto: Instagram/Reprodução)

Após passar quatro dias em uma UTI, em Cuiabá, a médica Dieynne Saugo foi transferida, na quinta-feira (3), de avião para o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Ela foi picada por uma cobra jararaca durante um banho de cachoeira em Nobres, a 150 km de Cuiabá, no dia 31 de agosto.

A cobra – que é venenosa – desceu com a queda d’água e atingiu a médica. Dieynne foi picada duas vezes: na mão e no pescoço. O caso dela é considerado grave pelos médicos.

Por causa da distância, ela demorou cerca de 3 horas para receber o soro antiofídico. Cerca de 70% das vias aéreas da médica estavam comprometidas.

A família diz ter optado pela transferência por causa da superlotação nos hospitais em função da pandemia de covid-19.

(Foto: Reprodução)

Para cobrir os custos, a família fez uma vaquinha online, já que o plano de saúde de Dieynne é estadual e não cobre internação fora de Mato Grosso. A meta é conseguir R$ 300 mil. Até o final da manhã desta sexta-feira (4), quase 50 mil já haviam sido doados.

“Venho pedir de coração a ajuda de cada um, para doar o que pode, em pouquinho, em pouquinho, vamos conseguir pagar essa divida, já agradeço imensamente, que Deus abençoe, e prospere na vida de cada um”, diz a irmã da médica na web.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTRE dá 48 horas para Facebook e Oi identificarem autores de propaganda difamatória
Próximo artigoAdvogado dá tapa no rosto de ex-funcionária que foi receber acerto