Médica anuncia viagem até a Suiça para ter “morte assistida”

Acometida por doença degenerativa, ela usou as redes sociais para informar amigos e parentes da decisão

A médica Letícia Franco anunciou nesta quinta-feira (1º) que viajará até a Suíça para poder ser submetida a morte assistida. Letícia é médica oftalmologista da Clínica Eye Care, em Cuiabá, e fez o anúncio em sua rede social. A postagem – posteriormente apagada – gerou muitos comentários de amigos, alguns desejando sorte e outros lamentando a decisão.

Saiba mais: Médica que tenta morte assistida sofre reação a implante de silicone

“Em 16 dias estarei longe, na Suíça, fazendo o que me deixará livre da dor e do medo. Acho que amanhã ou depois desligo esse facebook […] Toda minha família deixo meu mais sincero amor”, escreveu ela.

Letícia tem uma doença rara auto-imune chamada dermatopolimiosite*, doença inflamatória crônica da musculatura, que apresenta dores pelo corpo e nos músculos, febre baixa, desânimo e dificuldade para se movimentar. Estima-se que a incidência da enfermidade varie de 2 a 10 pacientes a cada um milhão de pessoas por ano, em diversos centros.

“Em muitos casos, a fraqueza muscular é a única manifestação, o que dificulta e retarda o diagnóstico. Os principais músculos acometidos são aqueles localizados nas coxas e na parte proximal dos braços.”, diz publicação da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

No Brasil a morte assistida é proibida. Holanda, Bélgica, Suíça e Alemanha são alguns dos países que permitem a eutanásia ou o suicídio assistido, além de alguns estados do Canadá e dos Estados Unidos. 

O LIVRE descobriu um pouco mais sobre o caso de Letícia, a doença foi uma reação a um implante de silicone. A matéria completa pode ser encontrada AQUI.

*Em entrevista recente, a médica explicou que a doença que a atinge é a “síndrome Asia”, que possui características da dermatopolimiosite e de mais algumas doenças autoimunes. Veja a entrevista aqui.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTemer confirma que vai sancionar criação da Universidade Federal de Rondonópolis
Próximo artigoTemer: PIB de 2017 de 1% mostra recuperação na produção nacional