Mauro Mendes promete extinguir seis ou sete secretarias e demitir pelo menos 30% dos comissionados

O candidato afirma que 30% dos servidores comissionados do Estado são indicações políticas

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O candidato ao Governo do Estado de Mato Grosso pelo DEM, Mauro Mendes, disse nesta quinta-feira (23) que, se eleito, vai fazer uma reforma administrativa, reduzindo o número de secretariais e demitir servidores comissionados.

De acordo com o democrata, ele vai reduzir para 15 ou 16 secretarias estaduais. Mendes destaca que quando prefeito de Cuiabá diminuiu o número de pastas, de 23 para 17. “E a Prefeitura funcionou muito bem e economizou bastante coisa. Aí conseguimos investir na cidade o dinheiro que foi economizado”, detalhou, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Mendes criticou a existência, por exemplo, do Centro de Abastecimento de Mato Grosso (Ceasa). Ele questiona a atividade exercida pela autarquia, pois, ainda de acordo com o candidato, não realiza obra ou presta serviço. “O que de concreto esse Ceasa entregou? Tem uma estrutura de gente e tem presidente ganhando salários altos. Tem que cortar isso”, disparou.

Demissão de servidores

O postulante disse ainda que vai demitir 30% dos servidores comissionados. Essa porcentagem, segundo ele, é utilizada para indicação política. “São penduricalhos políticos e nós vamos cortar”. Mendes também destacou que, se eleito, vai haver mais critério para a contratação de comissionados.

O democrata afirmou que não irá comprar briga com os concursados. “O concursado é impossível demitir, a lei não permite. Um governador tem que respeitar a lei e acordos. Não dá para comprar uma ‘brigaiada’ com o servidor, não vou fazer isso”.

Além de não entrar em embate com os efetivos, Mendes ressalta que pretende tê-los como aliados e entender o que está ocorrendo com Mato Grosso e todos terem a responsabilidade de colocar a casa em ordem. “Não sou um super-homem que vai chegar lá e resolver os problemas. O que resolve é muito trabalho, um trabalho honesto, sério e competente”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns, Mauro. Tá na hora de o governo caminhar junto aos servidores rumo ao avanço de MT. Chega de regime ditatorial e patrimonialista, que usa da brecha constitucional de contratação de comissionados para abarrotar o Estado em atividades permanentes, cujas vagas deveriam ser preeenchidas mediante concurso.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEscritora de Cuiabá lança livros de romance e poesia com selo de encadernação artesanal
Próximo artigoMinistério Público da União divulga edital com salários iniciais de até R$ 11 mil