Mauro Mendes e Jayme Campos estão na lista de Rodrigo Maia para deixar o DEM

Políticos de Mato Grosso devem ser convidados a seguir o ex-presidente da Câmara Federal

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Políticos de Mato Grosso podem receber convite do deputado federal Rodrigo Maia para acompanhá-lo na eventual saída dos Democratas (DEM).

O ex-presidente da Câmara Federal passou a considerar a opção após o fracasso na articulação de 31 deputados federais para votar em seu candidato na eleição da mesa iretora, Baleia Rossi (MDB-SP). 

O tiro na água desmobilizou Maia dentro do partido e ele agora busca o apoio de alguns filiados influentes para segui-lo na saída do DEM. O senador Jayme Campos e o govenador Mauro Mendes foram citados destinatários do convite. 

“Não troco de partido, de mulher e nem de telefone”

Campos nega, diz que ainda não houve tempo suficiente para conversar com Rodrigo Maia sobre assuntos paralelos à eleição da mesa, no começo da semana. O convite, portanto, não teria sido feito, mas ele vê chances de o assunto ser conversado num próximo encontro. 

“Eu não recebi convite nenhum, não tivemos tempo para conversar, a gente concentrou na eleição da mesa diretora. Se houver algum convite, ele ainda vai ser feito. Mas, já adianto que não tenho motivo para sair do DEM. Nem quando PFL [partido que deu origem do DEM] estava na pior crise eu não saí. Eu não troco de partido, de mulher e nem de telefone”, disse. 

O governador Mauro Mendes não se manifestou sobre o assunto até o momento. O LIVRE procurou a assessoria de imprensa, mas não houve retorno até a publicação dessa matéria. 

A lista de convidados já tem nomes com apoio declarado a Maia, como o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes, o deputado federal Pedro Paulo e o vereador César Maia. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGasoduto seguro?
Próximo artigoJovem morre em Cuiabá após usar “loló”