Mauro contraria presidente eleito do TJMT e propõe redução do orçamento

O governador eleito Mauro Mendes disse que incluiu no projeto da Lei Orçamentária Anual para 2019 um pedido de redução do orçamento do Poder Judiciário

(Foto: Suellen Pessetto/ O Livre)

Ao contrário do que disse acreditar o presidente eleito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador Carlos Alberto, o governador eleito Mauro Mendes (DEM) declarou, nesta segunda-feira (17), que incluiu no projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2019 um pedido de redução do orçamento do Poder Judiciário.

“Não há espaço para aumentar nada. A LOA já estabelece um déficit de R$ 1,5 bilhão. Se arrecadarmos tudo que está previsto, não vamos conseguir pagar tudo que obrigatoriamente precisamos, vai ficar muita gente sem receber, funcionários, fornecedores. Não vejo espaço para aumentar ainda mais esse caos”, disparou o democrata.

Mauro Mendes ressaltou, contudo, que encaminhou o pedido, mas não sabe se será acatado. Na última sexta-feira (14), o magistrado havia pontuado que ele e o futuro governador estavam conversando e que apostava que não haveria redução.

O orçamento do Poder Judiciário atualmente é de R$ 1,16 bilhão e Carlos Alberto, além de não aceitar redução, trabalha por um aumento de 10% no duodécimo que é repassado mensalmente.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPedro Taques é tachado por alguns políticos de agir com pequenez e picuinha
Próximo artigoFamília pede doações de leite e fralda para idoso que perdeu movimentos e se alimenta por sonda após AVC