Mauro anuncia retomada de obras do Hospital Central e no Júlio Müller em Cuiabá

Anúncio foi feito durante inauguração do novo Pronto-Socorro de Cuiabá; construções estão paradas há 30 anos

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governador de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM) aproveitou a noite de inauguração do novo Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá, nessa segunda-feira (18), para anunciar novas obras na área de saúde pública na capital.

Serão retomadas as obras do antigo Hospital Central do Estado, localizado no Centro Político Administrativo, e do Hospital Universitário Júlio Müller, na rodovia Palmiro Paes de Barros.

A primeira construção está parada há 35 anos, enquanto a segunda paralisou em 2014. Os projetos das obras e o cronograma de entregas deverão ser apresentados na próxima segunda-feira (25), segundo o governador.

Mauro ainda citou que a retomada das obras no Hospital Central é um pedido antigo e que já garantiu parte dos recursos necessários para tocar a construção. Outro montante, segundo ele, deverá ser captado com o ressarcimento de valores desviados pela corrupção.

Hospital Central

​As obras do Hospital Central do Estado foram iniciadas em 1984, na gestão do ex-governador Júlio Campos (DEM). O espaço, de 23 mil m², tinha previsão de abrigar 300 leitos e seria a maior obra de saúde de Mato Grosso.

No entanto, o local acabou alvo de disputas judiciais e teve as obras paralisadas. A última estimativa de custo da obra, divulgada por Silval Barbosa quando governador, era de mais de R$ 100 milhões.

Pedro Taques (PSDB) chegou a anunciar a retomada da construção, em um projeto de “Cidade Saúde”. Contudo, a obra também não andou.

Segundo Mauro Mendes, atualmente o governo ainda finaliza projetos complementares, hidráulicos, elétricos e estruturais.

Júlio Müller

Localizado às margens da Rodovia Palmiro Paes de Barros, a 15 quilômetros de Cuiabá, o hospital universitário da UFMT deveria contar com 250 leitos, 23 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) adulto, 16 UTIs pediátricas, 20 UTIs neonatal e 26 leitos de pré-atendimento. Além disso, farmácia, laboratório, seis salas para cirurgias, espaço para clínicas de diversas especialidades, entre outras funções.

As obras foram iniciadas em dezembro de 2012, em um espaço de mais de 58 mil m². Com um contrato inicial de R$ 115,5 milhões, a serem pagos com recursos federais e estaduais, a construção foi iniciada, mas teve apenas 11% dela concluídos até 2016.

A previsão inicial era de que o espaço fosse entregue em outubro de 2014. Contudo, na época da Copa do Mundo da Fifa, a construção foi paralisada. Depois, um termo de compromisso foi feito pelo Governo do Estado prevendo a finalização da obra para janeiro de 2019.

Mais uma vez, o prazo não foi cumprido e a construção do hospital chegou a ser alvo de inquérito do Ministério Público Federal.

Segundo Mauro Mendes, uma licitação para a finalização do espaço deve ser lançada em breve. A data será anunciada na próxima segunda-feira.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS