Mato Grosso terá 15 dias de toque de recolher e restrições no comércio

(Foto: Mayke Toscano Secom-MT)

O governador de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM) deve anunciar, nas próximas horas, novas medidas para tentar diminuir a disseminação da covid-19 no estado.

Segundo ele, a taxa de ocupação das UTIs em Mato Grosso está em 88%.

O anúncio foi feito agora pela manhã, em reunião com representantes dos demais Poderes. Nesta tarde Mendes deve se reunir com prefeitos, para sacramentar as medidas.

A proposta do governo é adotar, por 15 dias, as seguintes medidas, de forma impositiva:

Funcionamento do comércio e atividades em geral:

Segunda a sexta: das 5h às 19h

Sábados: das 5h às 12h

Domingo: tudo fechado

Exceções: Farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de combustível (exceto conveniência) e indústrias

Supermercados: apenas uma pessoa por família

Delivery: até 22h todos os dias (governo vai avaliar os questionamentos solicitando extensão desse horário)

Toque de recolher das 21h às 5h

A ideia é que o transporte coletivo continue autorizado, bem como o transporte por aplicativos e táxi.

Em relação às escolas particulares, dado o compromisso geral das escolas na adoção de protocolos de segurança, a autorização para o funcionamento permanece, dentro das limitações de horário impostas às demais atividades.

Multa

Um projeto de lei prevendo multa de 180,00 para pessoas físicas e com valor proporcional para pessoas jurídicas (por aglomerações e por desrespeito ao toque de recolher)

A Polícia Militar estará autorizada a dispersar aglomerações, incluindo em bares.

Órgãos estaduais

-Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas.

Quanto à jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.

“Temos acompanhado o crescimento da pandemia de perto e o estrangulamento das UTIs. Por isso, somente em janeiro e fevereiro deste ano e agora no início de março, já abrimos 90 novos leitos de UTI para reforçar a nossa estrutura. Somos o estado que mais testa no Centro-Oeste por 100 mil habitantes. Distribuímos as vacinas e estamos tentando comprar de forma direta. O Governo está fazendo tudo o que pode, mas precisamos da ajuda da população para diminuir a circulação do vírus e essas internações”, afirmou o governador.

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, Guilherme Maluf, apoiou as novas medidas e ressaltou a importância dos investimentos do Estado no atendimento precoce.

“O atendimento do Centro de Triagem na Arena Pantanal tem ajudado muito a diagnosticar a doença e evitar o pior. E essas medidas são muito necessárias e concordo plenamente com elas. São medidas justificadas em função da realidade que temos hoje”, ressaltou.

Neurilan Fraga, presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), também declarou apoio ao novo decreto.

“Se não tivermos essas medidas, teremos um caos igual ocorreu no Amazonas. Precisamos muito que essas medidas sejam implementadas. Esperamos que daqui a duas semanas a situação esteja melhor”, opinou.

Para o chefe do Ministerio Público Estadual (MPE), a aplicação de multas às empresas que desrespeitarem as normas é uma forma pedagógica de efetivar as restrições.

“Temos acompanhado todos os dias esse casos de aglomerações. Se o estabelecimento estiver fechado no horário restrito, as pessoas não terão como aglomerar no local. Agora, se descumprirem, é importante que sejam responsabilizados”, destacou. (Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTrump afirma que pode ser candidato em 2024
Próximo artigoEscolas particulares reabrem em Cuiabá com até 95% dos alunos esperados