Mato Grosso tem mais de 3 mil obras paralisadas, aponta relatório do TCE

Soma dos valores que envolvem os empreendimentos listados chega a R$ 7,4 bilhões

(Foto: Mayke Toscano/Secom)

Em Mato Grosso, 3.007 obras geridas pelo governo e pelas prefeituras estão paralisadas. É o que aponta um relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que lançou um radar com todos os empreendimentos sem conclusão.

Além da perda do serviço já executado e a inexistência do retorno social, as obras paralisadas significam a perda do capital investido. Segundo o TCE, a soma dos valores que envolvem os empreendimentos listados chega a R$ 7,4 bilhões.

A maioria das paralisações são em obras de infraestrutura. São 1,4 mil, ou seja, 34% do total de projetos não concluídos. Em seguida, aparecem as relacionadas à educação. São 753 obras paradas, o que equivale a 25% do total.

A lista do TCE também tem: saúde (12,8%), administração (4%), meio ambiente (3,8%) e turismo (70%).

Imagem Ilustrativa (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

De acordo com o levantamento, as obras foram paralisadas – em sua maioria – por rescisão contratual. Os motivos da quebra no contrato, porém, não foram divulgadas.

Entre os municípios, Rondonópolis é o campeão em número de obras paralisadas: 268, segundo o TCE. Cuiabá (184), Várzea Grande (145), Barra do Garças (73) e Sinop (65) também estão no levantamento.

Informação e discussão

Para o TCE, o radar de obras paralisadas contribui para trazer informação ao cidadão e pautar as discussões dos Poderes Legislativo e Executivo.

“De posse dessas informações a sociedade, os gestores responsáveis, bem como os Poderes Legislativos e Executivo poderão incluir o tema de forma objetiva na discussão, apreciação e aprovação das leis de orçamento (PPA, LOA e LDO)”.

Os dados utilizados estão contidos no banco de dados do Sistema GEO-OBRAS do TCE. O sistema é alimentado pelas próprias Unidades Gestoras responsáveis por aquele empreendimento, nas diversas fases do processo de contratação e execução da obra (planejamento, licitação, contrato e execução da obra).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Cuiabá através do tempo”: exposição virtual exibe fotos do século XX
Próximo artigoGoverno de MT lança programa para realizar 23 mil cirugias e 69 mil exames