Mato Grosso, Paraná, Santos e China se unem para debater logística de transportes

Grupo de Líderes Empresariais busca soluções para segmento essencial fortemente impactado pela pandemia

Mais do que discutir, propor soluções. Este é o foco do grupo formado por membros do Lide Mato Grosso, Paraná, Santos e China, que acaba de lançar um projeto inédito voltado ao segmento logístico, essencial e fortemente impactado pela pandemia do novo coronavírus. Atentos às necessidades do setor, os presidentes das quatro unidades do Grupo de Líderes Empresariais dão início à série de debates com especialistas, projeto que culminará com a realização de um fórum. O trabalho será concluído com a elaboração de documento dirigido às autoridades governamentais (Estados e União), contendo diagnósticos e sugestões de medidas a serem adotadas em prol da logística de transportes brasileira.

Realizada por meio de plataforma virtual, a websérie de debates Lide Talks Logística Integrada adota o modelo desenvolvido pelo Lide Paraná que, desde o início da pandemia, tem se dedicado a fomentar discussões que resultem na proposição de caminhos para que o empresariado consiga superar a instabilidade econômica gerada pela pandemia. “Além de uma crise de saúde pública, estamos enfrentando uma crise financeira sem precedentes. E como falar retomada do crescimento econômico se não discutirmos nosso gargalo logístico?”, observa a presidente da unidade, Heloisa Garrett. “Em nossa cidade promovemos, no último mês de abril, uma discussão sobre o tema e cremos que será extremamente produtivo seguirmos tratando da logística da forma mais abrangente possível, pensando muito além dos portos e incluindo todas as regiões do país na elaboração de soluções”, declara Jarbas Marques, presidente do Lide Santos.

O objetivo dos idealizadores do projeto é reunir lideranças de diversos setores econômicos para discutir, qualificadamente, os desafios de manutenção da “saúde” da logística brasileira e, diante a junção de conhecimentos e expertises, propor um rol de medidas que proporcione condições de continuidade das operações de todas as modalidades de transportes utilizadas no Brasil. Para tanto, foi convidado a assumir a curadoria do projeto o especialista Francisco Vuolo, Diretor executivo da Losc Logística e Soluções Comerciais. “É absolutamente positivo e oportuno voltar os olhos a todos os corredores do nosso imenso país, buscando alternativas para que o segmento logístico sobreviva a essa crise para a qual o mundo estava despreparado”, pontuou Vuolo, ressaltando, ainda, que é hora de contar com a tecnologia em favor da vida, do meio ambiente e do trabalho.

Em linha com o alerta em prol da tecnologia, o CEO do Lide China, José Ricardo dos Santos Luz, reforçou que o país pode se tornar muito mais do que o maior parceiro comercial do Brasil. Ele ressaltou a importância do intercâmbio de conhecimento com a China, que já conta com 100 mil quilômetros e ferrovias e 30 mil quilômetros de linhas de tráfego do trem-bala, sendo um país que emprega alta tecnologia em sua infraestrutura e nas comunicações.

“O Brasil precisa pensar Grande”, afirmou, durante o primeiro episódio da websérie, o presidente do Lide Mato Grosso, Evandro César dos Santos. “O segmento logístico é, sem dúvida, uma das forças que reconduzirão nosso país ao crescimento no pós-pandemia, mas temos que lembrar que ele também é fundamental para manter as famílias abastecidas durante a pandemia, por isso precisamos defendê-lo já, zelando pelo hoje e pelo amanhã”, finalizou.

Agenda – O segundo episódio da websérie Lide Talks Logística Integrada será realizado no início de junho. O Fórum de Logística Integrada tem realização prevista para o mês de julho.

Para assistir ao conteúdo do primeiro episódio da websérie, basta acessar basta acessar o site do LIDE PARANÁ, no link: https://www.youtube.com/watch?v=w-VdDwiq5c8&feature=youtu.be

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGovernador relança obra de escola técnica e diz que não quer “piso de posto de gasolina”
Próximo artigoCom quatro mortes em 1 dia, MT soma 67 vítimas fatais da covid-19

O LIVRE ADS