Mato Grosso: faturamento dos restaurantes cai 0,6% e dos supermercados aumenta 3,2%

Mesmo com a flexibilização das regras sanitárias e avanço da vacinação, setor continua com desempenho abaixo do esperado

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Restaurantes, bares, lanchonetes e padarias registraram uma leve queda de 0,6% no faturamento em outubro, em comparação com o mesmo mês de 2020, é o que apontam os índices divulgados pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), em parceria com a Alelo, bandeira especializada em benefícios, incentivos e gestão de despesas corporativas. Os dados, que avaliam o desempenho dentro do cenário da pandemia e consideram a inflação no período (ou seja, são calculados em termos reais), mostram, em contraponto, que o valor gasto nos supermercados aumentou 3,2%.

Os Índices de Consumo em Restaurantes (ICR) revelam ainda alta de 1,8% na quantidade de vendas e baixa de 6,8% no número de estabelecimentos que efetivaram pelo menos uma transação no mês de outubro.

“Mesmo com a reabertura e avanço da vacinação, o setor de restaurantes ainda enfrenta um cenário difícil. Uma das justificativas é a inflação, que acaba pressionando o segmento a repassar os aumentos para os clientes, associada a fraqueza econômica e queda na renda dos brasileiros”, destaca Cesario Nakamura, presidente da Alelo.

Em relação aos Índices de Consumo em Supermercados (ICS), os dados de outubro, em comparação com o mesmo período de 2020, indicam que o segmento encerrou o período com aumento de 5,5% na quantidade de vendas. No mais, o número de estabelecimentos que realizou pelo menos uma transação registou alta de 2,3%.

Perspectiva pré-pandemia dos indicadores

Quando observamos as variações calculadas comparando 2021 com 2019, período pré-pandemia, o ICR mostra queda nos três indicadores em outubro: -21,7% no faturamento, -28,2% na quantidade de vendas e -16% no número de estabelecimentos que realizou transações.

Já ao ter como base o comportamento de consumo em supermercados, de acordo com o ICS, observamos um aumento de 1,3% no faturamento e 2,1% no número de estabelecimentos que registrou ao menos uma transação, enquanto houve queda de 9,5% no quantidades de transações.

Segundo os pesquisadores da Fipe, a avaliação dos resultados de outubro de 2021 tem como destaque a deterioração do consumo em restaurantes em quase todas as aberturas do indicador (número de estabelecimentos, volume de transações e valor das transações) tanto na comparação em 12 meses (outubro de 2020) quanto em 24 meses (outubro de 2019). Isso implica reconhecer que o desempenho do consumo do segmento não reagiu como se esperava, até o referido mês.

Dados regionais

Em termos regionais, adotando como parâmetro a variação do valor gasto em restaurantes entre outubro de 2019 e outubro de 2021, é possível evidenciar um maior impacto na região Centro-Oeste (-29,1%). Entre as demais, a queda no valor total gasto foi de: Sudeste (-27,9%), Sul (-26,4%), Nordeste (-25,6%) e Norte (-24,8%).

Vale destacar que os Índices de Consumo em Supermercados (ICS) acompanham as transações realizadas em estabelecimentos como supermercados, quitandas, mercearias, hortifrútis, sacolões, entre outros; e os Índices de Consumo em Restaurantes (ICR) apontam a evolução do consumo de refeições prontas em estabelecimentos como restaurantes, bares, lanchonetes, padarias, além de serviços de entrega (delivery) e retirada em balcão/para viagem (pick-up). Ambos são calculados com base nas operações realizadas a partir da utilização dos cartões Alelo Alimentação e Alelo Refeição, em todo território nacional.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDicas para um Natal com brincadeiras, natureza e livre de consumismo infantil
Próximo artigoFãs anunciam campanha mundial por O Espetacular Homem-Aranha 3