Mato Grosso deixou de abater quase 600 mil cabeças de gado em 2020

Estado registrou a maior queda entre os produtores do Brasil, segundo pesquisa do IBGE

Foto: Assessoria

Após três anos de alta, o abate de bovinos no Brasil registrou queda. Em 2020, em meio à pandemia, foram abatidos 29,7 milhões de cabeças de gado sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal). A queda é de 8,5% em relação a 2019.

Ao longo de 2020, a variação negativa mais intensa foi verificada em abril, quando se deixou de abater 382,6 mil animais. Neste mês, o país começava a sentir os primeiros impactos das medidas de isolamento decretadas por conta da pandemia.

Entre os Estados produtores, a maior queda foi registrada em Mato Grosso: 573,6 mil cabeças a menos. Também aparecem Mato Grosso do Sul (menos 346,1 mil cabeças), Bahia (menos 237,2 mil cabeças) e Goiás (menos 220,3 mil cabeças).

Apesar da queda, Mato Grosso continuou liderando o ranking do abate de bovinos em 2020. O Estado é responsável por 17,1% da participação nacional.

Queda em 2021

Em Mato Grosso, o ano já começou em queda para o setor. De acordo com o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), o abate de bovinos foi já 7,74% menor em janeiro, quando comparado a dezembro do ano passado.

O total de cabeças abatidas no mês passado alcançou 367,21 mil. Desse número,  225,05 mil foram machos e 142,15 mil, fêmeas. Em dezembro, o número total foi de 398,02 mil cabeças abatidas.

“Um dos principais motivos que influenciaram este cenário foi a oferta mais escassa de machos e, para atender à demanda interna e aproveitar a alta na arroba, alguns pecuaristas decidiram continuar descartando suas vacas”, cita o Imea.

A expectativa para o ano apontam desafios, segundo o presidente da Acrimat, Oswaldo Pereira Ribeiro Jr.  “Acredito num balanço positivo para o setor como um todo, apesar do preço alto dos insumos, principalmente os grãos, que devem continuar a ser impactados pelo clima e pela demanda externa, que segue muito alta”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputado pede ao STF aumento na aposentadoria de ex-governador
Próximo artigoHonorários: empresa de construção tenta dar “cano” em advogados