Mario Friedlander revela seu olhar sobre a beleza e espiritualidade das tradicionais festas de santo

A exposição que abre nesta quarta-feira no Misc, contará ainda com cenários que remente às festas

Santos Pantaneiros, de Mario Friedlander

Até dezembro, o fotógrafo e documentarista Mario Friedlander circula por três cidades mato-grossenses com a mostra “Santos Pantaneiros”. A partir de sua impressões e recorte, ele envolve o público pela beleza e espiritualidade que movimentam vários momentos de tradicionais festas de santo, dos preparativos ao ponto alto. As celebrações são mantidas até os dias de hoje pelas populações tradicionais de várias regiões de Mato Grosso.

A exposição fotográfica que recebe incentivo do Governo do Estado, por meio do edital Circula MT, da Secretaria de Estado de Cultura, tem início nesta quarta-feira (22), às 20 horas, no Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (Misc). E segue em cartaz até o dia 22 de setembro, das 9 às 17 horas, com entrada gratuita.

Depois, a mostra segue para Campo Verde – de 5 de outubro a 5 de novembro – e por fim, chega a Primavera do Leste, onde ficará entre os dias 12 de novembro e 12 de dezembro.

De acordo com o artista, além das mais de 100 fotografias que representam a religiosidade mato-grossense, há também instalações que reproduzem cenários das festividades, caso do Arco da Iluminação, da Festa de São João e São Gonçalo de dona Apolônia, de Poconé. Enfeites, imagens sacras e iluminação especial arrematam ambientes. Outros, serão ornamentados com bandeirolas tradicionais, com diversos desenhos e recortes feitos à mão.

“Esta é a segunda vez que trago esta exposição para contemplação pública. Aqui faço uma conexão entre o sagrado e a cultura desses povos e sempre me surpreendo nestes encontros. São tantos devotos, manifestações artísticas diferentes que alcançam ao sobrenatural. Nela retrato os preparativos das festas religiosas e os costumes das populações tradicionais que seguem perpetuando a cultura ancestral. Minha presença nestes lugares e o consequente registro destas festas exigem um aprofundamento nas origens, pesquiso, não me limito apenas ao registro. E isso tudo é um pouco da emoção e crenças destes povos”, diz o fotógrafo.

Segundo ele, os registros fotográficos foram feitos nas festas de São Benedito, Divino, Santana, São João e São Gonçalo, São Pedro, Cavalhada de São Benedito, todas realizadas em Poconé, além de São Bento e nossa Senhora Aparecida de Rosário Oeste, festa de São Pedro da Comunidade de Joselândia e Santo Antônio da comunidade Maravilha de Poconé.

Em sua segunda edição, a mostra conta com curadoria do multiartista, Bené Fonteles. “A imensa sensibilidade de Mário, não só em fotografar, mas viver ao acolher a espiritualidade da gente pantaneira em seu território visual, está marcada ou demarcada pelas fronteiras naturais de Mato Grosso. Na mostra, estamos retratando sentimentos, captados pelo do seu olhar, por meio de elementos usados nas cerimônias, a exemplo das luminárias aos altares, que estabelecem o caráter precioso do costume regional das comunidades festeiras”, destaca o curador.

Na empreitada, Mario Friedlander conta ainda com apoio da EXPOIMAT-UFMT e das prefeituras de Cuiabá, Campo Verde e Primavera do Leste.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

3 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia,
    gostaria do contato do fotógrafo Mario Friedlander. Aqui na UERJ/RJ temos o NEPEC, (Núcleo de Estudos e Pesquisas Espaço e Cultura) uma das nossas áreas de pesquisa é sobre religião e cultura. Em novembro/18 teremos o nosso Simpósio Internacional e seria uma honra contarmos com a exposição aqui no Rio de Janeiro.
    Obrigada pela atenção.
    Profa. Avacir Gomes dos Santos

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCom público de 24 mil pessoas, Cuiabá vence e fica perto da Série B
Próximo artigoUFMT abre concurso com 31 vagas para professor com salário de até R$ 10 mil