Maluf quer disputar Mesa tendo como bandeira retorno das emendas impositivas

Outros deputados também se articulam, entre eles Janaina e Botelho

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf (PSDB), se articula para continuar na Mesa Diretora, mas disse que não faz questão de um cargo específico. Ele montou uma plataforma de campanha para a próxima gestão e, entre as bandeiras, está o retorno das emendas impositivas, derrubadas por decisão do Tribunal de Justiça em setembro.

“Acho isso inaceitável. Não queremos emenda parlamentar para deputado, queremos para os municípios. Na Câmara Federal já é uma realidade. Por que não pode ser realidade na Assembleia Legislativa? Vou apresentar uma PEC (proposta de emenda constitucional) para fazer valer essa prerrogativa e tentar reproduzir aqui o que a Câmara Federal fez”, disse.

Maluf informou que a Procuradoria Geral da Assembleia está estudando como elaborar um novo projeto sobre a questão. O texto anterior, aprovado em 2014 e em vigor desde 2015, foi derrubado justamente por falta de amparo em legislação federal, porque foi feito antes da aprovação das emendas impositivas no Congresso Nacional.

“Vamos apresentar o projeto neste ano. Esse projeto não pode ser de um deputado isolado, tem que ser conjunto. Acho fundamental para a soberania do Poder Legislativo”, disse o tucano, que presidiu a Assembleia em 2015 e 2016.

Também se articulam para compor a Mesa o atual presidente, Eduardo Botelho (DEM), Janaina Riva (MDB), Dilmar Dal’Bosco (DEM), Ondanir Bortolini “Nininho” (PSD) e Max Russi (PSB). “Coloquei meu nome, mas é uma construção. Estou conversando com os deputados mostrando minha plataforma. Não terei problema em fazer uma composição com os que estão colocados, como Botelho e Janaina. Todos são qualificados. Minha ideia é participar da Mesa”, afirmou o tucano.

Ele admitiu que o fato de o governador Pedro Taques (PSDB) ter sido derrotado nas eleições pode prejudicar sua articulação. “Acho natural que partidos vitoriosos se aglutinem. Acho natural também que novatos participem da Mesa”, comentou.

A plataforma de Maluf inclui ainda realizar concurso público para o Legislativo, contratar uma fundação de comunicação para o teatro e a rádio, e reformar o regimento interno para definir regras para composição das comissões.

“O Legislativo de Mato Grosso precisa evoluir. Quando fui presidente, quebramos um ciclo de 20 anos de gestão. Precisamos evoluir depois dessa ruptura”, disse, referindo-se ao fim da “Era Riva”, quando José Riva se revezou entre a presidência e a primeira-secretaria ao longo de cinco mandatos. Em 2014, ele lançou a filha Janaina como deputada estadual e concorreu ao governo do Estado, mas acabou enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApós emagrecer 15 quilos, gerente descobre câncer raro e pede ajuda para cirurgia
Próximo artigoEleitor que não votou no 1º turno precisa justificar ausência; veja prazo e consequências