Maluf pede para não ser julgado pelo Pleno do TJ

Deputado é investigado por suspeita de envolvimento em esquema de desvio de recursos da Seduc

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Na lista dos acusados da Operação Rêmora, o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) requereu que o Tribunal de Justiça decline a competência do Tribunal Pleno de julgar o processo oriundo da operação. O caso está previsto para entrar na pauta de julgamentos desta quinta-feira (14).

Por meio da assessoria, a defesa do parlamentar confirmou que fez a solicitação. A intenção é que o caso seja apreciado primeiro por uma das Câmara Criminais da Corte. O processo está sob relatoria do desembargador Rondon Bassil Dower Filho.

Reeleito, Guilherme Maluf é um dos deputados estaduais cotados para ser indicado ao cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Denúncia

Guilherme Maluf foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por suposto envolvimento no esquema que desviou recursos da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), no início da gestão Pedro Taques (PSDB). O caso foi investigado e desmantelado na Operação Rêmora.

O nome do deputado foi citado pelo empresário Alan Malouf, seu primo e um dos delatores do esquema de corrupção. Segundo o empresário revelou à Procuradoria Geral da República (PGR), o parlamentar teria recebido propina em troca de apoio político para que os crimes da gestão fossem encobertos.

(Atualizada às 12h12 para corrigir a informação de que o Ministério Público teria pedido o afastamento do deputado)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCom PAD em fase de conclusão, governo prorroga “estadia” de Cursi na Seges
Próximo artigoShopping apresenta tendências de moda e maquiagem para o Carnaval