Maluf defende instalação de hospital de campanha em Cuiabá

Ideia não agrada o Poder Executivo e nem o Legislativo, mas, segundo conselheiro-presidente do TCE, seria a solução para este momento

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE), conselheiro Guilherme Maluf defende que o Governo do Estado instale um hospital de campanha em Cuiabá para atender pacientes com covid-19.

A proposta foi debatida durante live produzida pelo TCE na manhã desta quinta-feira (25), que contou com a participação do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (DEM) e do presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga. O conselheiro do TCE Luiz Henrique Lima também participou do encontro virtual.

“Infelizmente, nós vamos ter que pensar em um hospital de campanha na região metropolitana. A rede privada está superlotada, não tem mais como pegar leito em lugar nenhum. Infelizmente a doença está sendo mais forte”, disse Maluf, que é sócio de um hospital em Cuiabá.

Ao inaugurar a ampliação do Hospital Metropolitano de Várzea Grande, o governador Mauro Mendes afirmou que promoveu economia ao criar 30 leitos definitivos de UTI na unidade, ao invés de contratar um hospital de campanha. 

Maluf aproveitou a ocasião para perguntar ao deputado Botelho se a ALMT apoiaria a criação de hospital de campanha no Estado.

Botelho afirmou que não é muito simpático à ideia, e afirmou acreditar que a melhor solução seria a descentralização dos leitos de UTI para covid da Capital e Região Metropolitana, e que o cenário ideal seria de instalação destas unidades no interior do Estado.

O deputado justificou que “não basta abrir UTI, porque o índice de mortalidade está sendo de 80% e isso é uma coisa absurda”.

Maluf rebateu afirmando que o problema está na falta de profissionais qualificados – principalmente no interior – e uma saída para esta situação – além de concentrar os leitos de UTI na Capital – seria a telemedicina.

A telemedicina é a ferramenta tecnológica para melhorar a eficiência dessas UTIs”.

Saúde preventiva

Neurilan Fraga defendeu duas soluções – que segundo ele – seriam viáveis nos municípios do interior onde não há UTI, ou onde o SUS já está saturado.

“A primeira questão é saúde preventiva. Defendo que parte dos recursos públicos devem ser direcionados para a prevenção e auxílio nos municípios mais pequenos. Em Mato Grosso temos cerca de 50 municípios que receberam menos de R$ 10 mil do auxílio emergencial do Governo Federal”, relata.

Outra ação defendida por Neurilan é que o Estado forneça medicamentos aos municípios. “A AMM, que faz parte do comitê de acompanhamento da pandemia, já se dispôs a fazer um levantamento sobre a necessidade de cada município por medicamentos”, explica.

O presidente da AMM pontua que é favorável à distribuição de kits contra a covid-19, mas que a população não tome remédio sem prescrição médica.

Lockdown

Diante da polêmica decisão judicial que obrigou os municípios de Cuiabá e Várzea Grande a iniciar a quarentena forçada nesta quinta-feira e que, inicialmente, vai durar 15 dias, Neurilan avalia que não é suficiente apenas as duas cidades cumprirem as regras.

“Eu defendo que o lockdown seja regional e que os municípios do interior também cumpram as medidas”, afirma o presidente da AMM, em opinião parecida a do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro.

Por outro lado, Maluf chamou atenção para o fato de que não é “justo que toda a população pague [com quarentena]”, principalmente, nos municípios onde há baixa incidência de contágio por coronavírus.

Outra ponderação feita pelo conselheiro é que o Poder Judiciário não deve arrogar para si a prerrogativa de definir qual cidade deve cumprir a quarentena. Maluf aponta que cada município tem sua peculiaridade, e que uma decisão uniforme pode ser prejudicial à muitos municípios.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLadrões roubam 60 cabeças de gado e são presos ao transportar os animais
Próximo artigo50 atividades voltam normal? Entenda a quarentena obrigatória de Cuiabá

O LIVRE ADS