Major do Exército é preso por declarar apoio a Bolsonaro

De acordo com os advogados do major, o apoio ao presidente Bolsonaro irritou o Comando Militar do Nordeste

(Foto: reprodução)

O major João Paulo da Costa Araújo Alves, do Exército Brasileiro, foi preso em Teresina, Piauí, por declarar apoio ao presidente Jair Bolsonaro. De acordo com o militar, seu posicionamento político desagradou o Comando Militar do Nordeste.

No momento, o major está detido no 25° Batalhão de Caçadores, que fica na capital do Estado, depois de o Exército cumprir um mandado de prisão preventiva por desobediência.

Motivos da prisão

Recentemente, a Procuradoria do Piauí emitiu orientações para que militares evitassem declarar apoio a um ou outro candidato.

No Piauí, os militares resolveram transformar as orientações em ordem e tentam impedir que militares se envolvam de forma partidária na política.

Foi esse o motivo que levou a prisão do major, que descumpriu as ordens do Exército, fazendo apoios públicos ao presidente Bolsonaro.

Decisão política

De acordo com o advogado Otoniel d’Oliveira Chagas Bisneto, responsável pela defesa do major, a prisão foi motivada simplesmente por cunho político.

“Uma decisão mais política que de cunho efetivamente disciplinar”, afirmou o advogado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Uai, ditadura não é uma maravilha? Tá reclamando de quê?
    Falta ainda chamar a galera do Brilhante Ustra pra dar aquela torturada. Aí, sim, vai ser legal defender ditadura, milícia e coisa do tipo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno de MT diz que ministro foi “induzido ao erro” ao paralisar obras do BRT
Próximo artigoGravadora cuiabana reúne novas vozes da música regional no Festival Baguncinha