Mais um capítulo do VLT

Pedido de vistas na ALMT adia votação de permissão para o governo do Estado fazer um aditivo no contrato com a Caixa Econômica

Ednilson Aguiar/ O Livre

Um pedido de vistas do deputado estadual Lúdio Cabral (PT) impediu a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) de aprovar, a pedido do governador Mauro Mendes (DEM), uma lei que autoriza o governo do Estado a assinar termo aditivo com a Caixa Econômica Federal (CEF) no contrato de financiamento das obras do VLT (Veículo Leve sob Trilhos).

O projeto havia sido encaminhado na terça-feira (5), em regime de urgência urgentíssima, porque o dinheiro deve ser necessário para a troca de modal, para o BRT (Bus Rapid Transit).

“O governador está com uma pressa que não tem justificativa”, alegou Lúdio.

Obrigatoriamente, o projeto de lei deve ser devolvido no prazo de 24 horas pelo petista, quando poderá novamente ser remetido à votação.

A Assembleia Legislativa realiza sessões extraordinárias até quinta-feira (7) para votar, dentre outras matérias, a Lei Orçamentária Anual (LOA) que estima a receita e fixa as despesas do Estado para 2021. Após isso, deve entrar em recesso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA volta da polêmica RGA
Próximo artigoGoverno de MT veta lei que ampliaria medida de proteção a vítimas de violência doméstica