Mais de duas mil pessoas são presas em operação contra roubos no país

Ação integrada resultou também no cumprimento de 978 mandados de buscas e recuperação de 1.517 aparelhos celulares

(Foto: Polícia Civil)

Em um esforço integrado que reuniu um efetivo de 9.700 profissionais, as Polícias Civis dos 26 estados e do Distrito Federal deflagraram, nessa quarta-feira (16), a Operação Voleur, de repressão qualificada a crimes contra o patrimônio, que resultou em 2.112 prisões e cumprimento de 978 mandados de buscas e apreensões em todos os estados.

Coordenada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (CONCPC), a operação reuniu ações policiais de repressão a crimes como roubo, furto, receptação, roubo de cargas e roubo de veículos, cujo resultado inclui ainda a recuperação de 1.517 aparelhos celulares e as apreensões de 289 armas de fogo, 3.826 munições e 385 veículos. Durante a operação, também foram apreendidos 146 adolescentes.

O delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso e coordenador da operação, Mário Dermeval Resende, destaca os números satisfatórios obtidos, que reuniram policiais civis em um esforço conjunto de combater crimes que mais geram insegurança à população.

“Os crimes são comuns a todos os estados e demos ênfase na Operação Voleur à apreensão de aparelhos celulares, que podem estar ligados a outros delitos. A atuação das Polícias Civis é no sentido de combater esses crimes que estão bastante presentes no cotidiano da população e os que mais afligem o cidadão. Daí, a ação coordenada e atenção em fazer frente e reprimir esses delitos e levar os responsáveis à prisão”, observou o delegado.

Números em Mato Grosso

As investigações desencadeadas nos municípios de Mato Grosso durante a Operação Voleur resultaram em 271 prisões de suspeitos de crimes como roubo, furto, furto qualificado e latrocínio, receptação e no cumprimento de 91 mandados de busca e apreensão.

Noventa celulares foram recuperados, entre eles, 31 oriundos de furtos e roubos investigados pela Delegacia de Roubos e Furtos de Várzea Grande. Outros 14 aparelhos foram recuperados em ações da Delegacia de Roubos e Furtos de Rondonópolis.

A operação empregou um efetivo de 404 policiais civis de diversas unidades da região Metropolitana e do interior.

Entre as apreensões realizadas estão 24 veículos produtos de crime, 124 munições e 10 armas de fogo e mais de 3 toneladas de defensivos contrabandeados.

Os defensivos foram apreendidos em investigações da Gerência de Combate ao Crime Organizado nas regiões de Tangará da Serra e Nova Mutum. Entre os produtos estavam dezenas de sacos de benzoato, defensivo de comercialização proibida no Brasil.

(Foto: Polícia Civil)

CONCPC

O Comitê Permanente de Análise e Repressão a Crime contra o Patrimônio, do CONCPC, traçou a operação para prestar contas sobre resultados das investigações desenvolvidas pela Polícia Civil.

A presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia, delegada Nadine Farias Anflor, destaca que a operação demonstra o compromisso das instituições nos estados em fazer frente aos crimes que causam insegurança ao cidadão, especialmente aqueles hediondos.

“Desencadeamos essa operação para analisar e reprimir de forma qualificada, cada vez mais, os crimes de roubos, furtos, roubos e cargas e aqueles corriqueiros, que também tiram a paz do cidadão”, afirmou a chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

Os dados da Operação Voleur compreendem ações desencadeadas no período de 08 a 17 de novembro.

O nome da operação, originário do francês, faz referência a quem pratica crimes contra o patrimônio, roubando ou furtando para si o que não lhe pertence.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPadrasto é detido após enteado de três anos ser encontrado sozinho em casa
Próximo artigoEntregador tem a moto tragada por buraco na rua em Cuiabá e não consegue mais achá-la