Mais de 2 mil empregos são gerados pela agricultura familiar em Primavera do Leste

Produção da agricultura familiar é responsável por 75% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros, diz coordenador Rogério Delmon

Seu Dito é um dos pioneiros do Assentamento São Gabriel. A produção da família é distribuída nas feiras livres de Primavera do Leste.

Leandro Maia e Diego Eifler especial para O Livre

O colorido nas mãos é por causa do trabalho artesanal para descascar o açafrão-da-terra. Benedito Pereira de Souza, 84 anos, é um dos agricultores do Assentamento São Gabriel em Primavera do Leste. Além da especiaria muito utilizada na culinária e fabricação de bebidas e corantes, seu Dito, como é conhecido por lá, também produz mandioca, gueroba amarga, limão, frango caipira e gado de corte em sua propriedade. Na Grande Primavera do Leste, cerca de 400 famílias sobrevivem diretamente ou indiretamente da agricultura familiar. A atividade emprega aproximadamente duas mil pessoas. O assentamento São Gabriel é um dos que mais se desenvolveram nos últimos anos. Desde 2004, 36 famílias produzem vários gêneros alimentícios que abastecem mercados e as duas feiras livres do município onde os consumidores podem encontrar produtos de hortifrutigranjeiros, leite e derivados e até mesmo mudas de plantas.

O fomento da atividade é feito pela Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, através da Coordenadoria de Agricultura Familiar. Os investimentos ajudam a oferecer mais estrutura para os agricultores. “O município, através de subsídio de tratores, retroescavadeira, grades, encanteiradeira e transporte de resíduos orgânicos, tem colaborado para o crescimento dessa atividade tão importante da região. Sabemos que a agricultura familiar é responsável por 75% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros. Por isso, é importante estimular a agricultura das pequenas propriedades de Primavera”, afirma coordenador Rogério Delmon.

Cleuzini Moraes de Souza Rodrigues, 55 anos, sobrevive da agricultura família. A produtora está desde 2003 nas terras do assentamento, antes mesmo da homologação do São Gabriel

A administração do assentamento é de responsabilidade da APRUSPRIL, Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Primavera do Leste – Assentamento São Gabriel. A administração pública de Primavera vem se aproximando cada vez mais dos produtores por meio de ações da coordenadoria da agricultura familiar do município. As informações apuradas durante as visitas às propriedades ajudam a gestão a ter mais sensibilidade para atender as principais necessidades da área rural. Esse trabalho que aproxima as relações com o assentamento é feito pelo coordenador Delmon, a pedido do chefe do executivo municipal, Leonardo Bortolin (MDB). E, isso, tem feito a diferença ao que diz respeito aos investimentos para potencializar a cultura. De acordo com o presidente da associação, Jurandir Antônio Rodrigues, a abertura de um poço artesiano é uma das mais importantes demandas para melhorar a produção, principalmente, por causa do período seco entre os meses de maio a setembro. A expectativa é de que até o início de julho, o reservatório natural seja perfurado.

Para o agricultor Manoel Rodrigues Nunes, o poço artesiano será importante para a manutenção da irrigação do solo. Na propriedade, ele planta maracujá, abacaxi e mandioca, por exemplo. “Isso vai ser muito importante para gente porque quando ficamos sem chuva temos dificuldade com a plantação. Com a abertura do poço artesiano, nosso trabalho será mais produtivo, perderemos menos alimento”, diz o produtor que há 30 anos, ao lado da esposa, sustenta os filhos com a agricultura familiar.

Primavera do Leste é reconhecida nacionalmente por ser uma das principais potências do agronegócio por causa das plantações de soja, milho e algodão. O município tem o 7º PIB do estado de Mato Grosso. Fomentar a agricultura familiar é um dos objetivos do prefeito Léo Bortolin, um grande incentivador das pequenas propriedades por reconhecer a importância do segmento. “O município tem a produção de soja já consolidada como referência para o Brasil, comércio e setor de serviços fortes, indústrias se instalando, mas a agricultura familiar indiscutivelmente contribui muito para o nosso PIB, são muitas famílias que vivem da comercialização de produtos da melhor qualidade e, esse conjunto de fatores oxigena a nossa economia”, explica Bortolin.

Ademir Rodrigues Pereira, 58 anos, está há 16 no assentamento. Em sua propriedade, ele produz mandioca, maracujá, abóbora, leite e queijo.

Novos projetos

Existem vários Projetos que estamos planejando para os próximos anos. Como por exemplo; desenvolver um Pomar Municipal, Horta nas Escolas, Hortas verticais em parceria com a SAS, Programa de troca implementado; onde o produtor recebe insumos como adubo orgânico/calcário/plasticultura e devolve ao município, gêneros alimentícios produzidos por eles mesmos, e estes, são encaminhados às Unidades do município. Produção de farinha no Assentamento São Gabriel com marca própria e produzido pelas mulheres locais.

Todos os Projetos serão e terão parcerias; Sindicato Rural, SENAR, SEBRAE, EMBRAPA e Secretaria de Agricultura Familiar do Estado de MT. Essas parcerias visam melhorar a cadeia produtiva local, buscando excelência na produção e sendo sustentável. É um longo caminho a percorrer, unindo forças buscaremos dar melhores condições aos nossos agricultores a produzir e também ofertaremos produtos de qualidade da população.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConcessionária amplia capacidade de distribuição de água do Sistema Central
Próximo artigoMãe de bebê encontrado com membros amputados é presa em Porto Velho