Mais de 10 mil casos de chikungunya foram registrados em VG apenas em 2018

Além desses, no mesmo período, foram 1.637 casos de Dengue e outras 88 notificações para o Zika Vírus

A Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande divulgou que, de janeiro a 24 de setembro deste ano já foram registrados mais de 10 mil casos de chikungunya no município. No mesmo período do ano passado, o número de registros foi de 2,6 mil casos, ou seja, três vezes menor. Os dados são do Sistema de Informação de Agravos e Notificações.

Conforme o levantamento, foram 10.142 casos notificados de chikungunya. Além desses, no mesmo período, foram 1.637 casos de dengue e outras 88 notificações para o zika vírus. Todas as doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Diante do aumento expressivo dos casos de chikungunya, o secretário de Saúde, Diógenes Marcondes, disse que novas medidas deverão ser elaboradas para conter a infestação do mosquito e ajudar a diminuir o número de casos. Ele citou que já houve avanços no combate ao Aedes aegypti, e que a secretaria tem realizado ações de porta em porta, a fim de conscientizar a população e promover o combate direto ao mosquito.

Entre as ações promovidas no município de Várzea Grande estiveram a limpeza de córregos, retirada de bolsões de lixo acumulado e notificações de proprietários de terrenos baldios ou fechados.

Atualmente, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (Liraa), realizado pela secretaria, mostrou que o município apresenta índice de 6,1% de infestação, o que é considerado risco para a população e é superior ao máximo tolerado pelo Ministério da Saúde.

(Com informações da Assessoria)

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPlástica Para Todos: após complicações e morte, CRM interdita médicos do programa
Próximo artigoTaques justifica fraco desempenho em ranking: outros Estados não tiveram Silval como herança