Mãe vive o drama de cuidar de trigêmeos após ter a casa destruída por incêndio

Casal e filhos trigêmeos perderam tudo, inclusive documentos e notas fiscais dos produtos que poderiam ter o custo ressarcido

Bruna Larissa Garcia dos Santos, 26 anos, vasculha entre os entulhos o que pode ser aproveitado. Seja uma roupa dos trigêmeos ou um objeto de família.

Um incêndio destruiu a casa dela no domingo (17) e atingiu os quartos – dela e das crianças – , bem como o corredor e a lavanderia. Sobrou apenas a cozinha.

Agora, ela está sem saber para onde ir e em busca de orientações sobre o que acontecerá. Divide o tempo entre as atividades de receber a perícia da polícia e fazer ligações para a Energisa, concessionária de energia elétrica, e a Prefeitura de Várzea Grande.

As chamas iniciaram após a troca de um transformador, que teria sido feita por uma empresa contratada pela prefeitura. O poste onde estava o aparelho ficou todo queimado e o fogo danificou os fios de outros serviços, como o de telefonia.

Quartos, lavanderia e corredor foram destruídos pelo fogo (Ednilson Aguiar/O Livre)

O imóvel fica na avenida Filinto Müller, em Várzea Grande, e por pouco a tragédia não foi maior, tendo em vista que a família estava no sítio do sogro quando o fogo começou.

Bruna conta que, quando os técnicos começaram o serviço, os problemas apareceram por toda vizinhança. As lâmpadas começaram a estourar e alguns aparelhos a queimar.

Os moradores começaram a ligar para a concessionária Energisa e um deles usou um medidor para verificar a voltagem que passava pelos fios. O resultado foi 380 volts.

Como tinha combinado de ir para o sítio do sogro, ela seguiu com a família para Nossa Senhora do Livramento e, lá, recebeu a notícia de que a casa estava pegando fogo.

“Eles falaram para eu não vir correndo. Mas, estávamos tão preocupados que chegamos muito rápido. O Corpo de Bombeiros já estava aqui e a casa isolada”.

Segundo os bombeiros e os vizinhos, o incêndio começou com a explosão do aparelho de ar-condicionado. Ele estava desligado, mas quando a energia voltou houve um estalo e em seguida um barulho forte.

Nos quartos estavam as roupas, camas, guarda-roupa, brinquedos, documentos e grande parte dos objetos pessoais. A mobília foi adquirida recentemente e sequer acabou de ser paga.

As prestações vão até fevereiro do próximo ano.

Sem solução

Hoje, Bruna e a família vão dormir na casa de uma sobrinha do marido. As crianças não têm o que vestir e ela não tem informações se será ressarcida e por quem.

“Eu ligo na Energisa e eles querem que eu passe uma lista de tudo que foi queimado com marca e nota fiscal. Porém, as notas que tínhamos foram queimadas e o resto não temos mais”.

Para piorar ainda mais a situação, a Energisa informou que vai fazer a perícia apenas no dia 26 de novembro.

“Eu falei que não tem mais nada. Que queimou tudo. Mas eles falaram que é o procedimento. Então, não temos outra solução além de esperar e rezar para que alguém ajude”.

Outro lado

A Energisa informou, por meio de nota, que o dano foi causado pela empresa contratada pela prefeitura de Várzea Grande para fazer a duplicação da Avenida Filinto Müller.

Já a Prefeitura de Várzea Grande informou que aguarda o laudo da Energisa para saber de quem é a responsabilidade pelo incêndio e depois agir.

Veja a íntegra da nota da Energisa:

A Energisa informa que ontem (17) houve um desligamento programado na rede solicitado pela prefeitura de Várzea Grande, devido a uma obra para duplicação da Av. Filinto Muller na região. Trata-se de uma obra particular da prefeitura, na qual ontem realizou a substituição de um transformador que atende as famílias citadas da reportagem.

Ao ser acionada hoje cedo, equipes da Energisa identificaram que o transformador substituído possui uma voltagem diferente do anterior e do que a rede e os equipamentos no local suportam.

A empresa fará uma análise para identificar se houve falha no procedimento executado pela empresa particular, uma vez que a voltagem utilizada é de 127/220Volts e o transformador usado pela empreiteira particular é de 220/380Volts.

A solicitação da troca de um novo transformador com a carga adequada já foi feita e a substituição acontecerá ainda hoje”.

Veja a íntegra da nota da prefeitura de Várzea Grande:

A prefeitura de Várzea Grande informa que a proprietária deve requisitar um laudo da Energisa, que é responsável pela rede de energia elétrica, para se saber quais os motivos do referido incêndio.

A Prefeitura de Várzea Grande tão somente solicitou a realização de um serviço de responsabilidade da Energisa e tem sua competência relativa à Rede de Iluminação Pública nas ruas e avenidas.

O referido laudo demonstrará de quem é a responsabilidade pelo ocorrido ou se foi apenas um fato isolado, pois do portão para dentro das residências, comércios e indústrias, as responsabilidades são dos proprietários”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS