|Terça-feira, 18 Dezembro 2018
(Foto: Divulgação)

Mãe é encontrada e nega ter abusado da filha de cinco anos que a denunciou

A Polícia Civil está apurando o caso e aguarda a finalização de laudo que comprovará se houve abuso ou não

COMPARTILHECOMPARTILHE

O caso da menina de cinco anos que disse ao pai ter sido abusada pela mãe causou revolta em muitas pessoas. No dia da denúncia do suposto crime, 27 de novembro deste ano, a mãe, de 25 anos, não foi encontrada. Um dia depois, porém, a Polícia Civil a encontrou dormindo na casa do namorado e ela negou ter cometido o abuso.

A ocorrência foi registrada em Guiratinga (330 km de Cuiabá). A menina, que mora com o pai e passa os finais de semana com a mãe, nesse dia teria ido à casa da mãe às 9 horas e ido embora às 18h.

Porém, quando a criança chegou em casa, foi ao banheiro, disse ao pai que sentiu dores e, em seguida, foi para o quarto chorar. Preocupado, o pai perguntou à filha o que estava acontecendo e ela disse “que sua mãe colocou o dedo dentro de sua vagina”, consta no boletim de ocorrência registrado pelo pai.

A menina foi levada para o Pronto-Atendimento Municipal e a equipe médica acionou a Polícia Militar. A médica que prestou o primeiro atendimento, segundo o boletim de ocorrência, afirmou que existiam duas lesões na vagina da criança.

O investigador que está apurando o caso ouviu todas as pessoas envolvidas: a mãe, o pai, a criança, a médica que a atendeu no primeiro dia e o médico legista que está elaborando o laudo pericial.

Segundo informações da assessoria da Polícia Judiciária Civil, a mãe foi encontrada um dia depois do registro da ocorrência, negou ter cometido o abuso e exigiu que o caso fosse investigado a fundo, alegando que se algo aconteceu foi na casa do pai – e não na dela.

A criança também foi ouvida e, segundo a assessoria da PJC, disse que a mãe a tocou durante o banho, confirmando a denúncia do pai.

O investigador ainda ouviu a médica que atendeu o caso, que, no primeiro dia, para a Polícia Militar, disse que havia duas lesões na vagina da criança, mas, agora, disse que não pode afirmar nem que houve, nem que não houve o abuso, visto que não é uma médica legista.

Briga pela guarda

A criança foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou por perícia médica. O laudo ainda não está pronto, mas, a princípio, o médico acredita que possa não ter acontecido abuso, ao menos não com penetração, como a menina teria dito (ela afirmou que a mãe colocou o dedo dentro de seu órgão genital).

A Polícia Civil trabalha, ainda, com a possibilidade de ser um caso de briga dos pais pela guarda da criança, e não ter havido abuso.

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

LINKS PATROCINADOS

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Após operação, Emanuel exonera secretário-adjunto de Saúde, que está foragido
TCE diz que não há efetivo para novo PS e mantém suspensão de temporários
Papai Noel não chega de trenó, mas de transporte coletivo em Cuiabá
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Amigo do Mickey: Galli diz ser covardemente atacado pois é uma pedra no sapato da esquerda
Mauro Mendes anuncia mais seis nomes que irão compor sua equipe de governo
Selma Arruda promete entregar nome de suposto chantagista à PF e ao MPF
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Mato Grosso detém 15% do Valor Bruto da Pecuária bovina nacional
Ministério da Agricultura acumulará atribuições de outras três áreas
Saiba quanto o produtor rural paga de impostos e como aumentar a taxação é prejudicial à economia
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
Amor em libras: saiba porque este vídeo tem emocionado a internet
“Quando bebo fico agressiva”, diz blogueira envolvida em confusão em casa noturna
Netflix estreia filme pós-apocalíptico com Sandra Bullock, uma mãe em busca da sobrevivência
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Senado aprova afastamento de grávida e lactante de atividade insalubre
Especialista americano quer ajudar Bolsonaro a mudar legislação sobre armas de fogo
Temer disse estar tranquilo com futuro do Mercosul
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Em MT, concursos públicos têm salários até R$ 12,6 mil; veja cargos e prazos
Provas de concurso para a Secretaria de Educação serão aplicadas neste domingo
Prefeitura de Nova Monte Verde abre concurso com 56 vagas e salários de até R$ 12 mil
X