Lutador de Mato Grosso participa de competição mundial de jiu-jitsu na Califórnia

Zé Eskiva treina com Lyoto Machida e promete trazer prêmio para Mato Grosso

O lutador alta-florestense José Vaz Neto, o Zé Eskiva, prepara-se para mais um mundial. Ele vai representar a Academia Black House/MMA em campeonato que ocorre na cidade norte-americana de Long Beach, Califórnia. O World Jiu-Jitsu Championship será entre os dias 8 e 10 de novembro, no salão de festas Long Beach Arena-Pacific.

O atleta mato-grossense dá voos cada vez mais altos. Depois de uma adolescência conturbada, encontrou no esporte o seu porto-seguro e hoje, tornou-se tetracampeão mundial de kickboxing, tendo conquistado 21 medalhas em sua curta carreira, sendo 11 de ouro, 6 de prata e 4 de bronze.

A trajetória é ascendente e assim, ele segue para os EUA, depois de receber orientações de Lyoto Machida, uma das lendas do MMA Mundial. “Minha meta é adquirir mais experiência no jiu-jitsu.

Muitas horas de dedicação e treinamento foram necessários para que ele chegasse até lá. E também, apoio de entusiastas visionários, como o empresário Derli Rosa, proprietário da  Ávida Construtora. A empresa é uma das que mais cresce em Mato Grosso e desponta no setor da construção. A sensibilidade e o reconhecimento da importância de investir em um talento do esporte, vem também do tempo em que foi instrutor na Central Única das Favelas, a Cufa.

World Jiu-jitsu Championship/2019

O mundial de jiu-jitsu é promovido pela Federação Internacional do Esporte Jiu-Jitsu
(SJJIF) que tem como missão unificar e organizar federações nacionais e/ou regionais. A SJJIF acredita que juntos, a SJJIF com suas Federações Nacionais e membros,
continuará a desenvolver uma rede crescente de membros afins que vislumbram maiores
oportunidades para nossos atletas e jiu-itsu brasileiro, pois acreditamos que nossos
atletas merecem igual direito à grandeza olímpica.

O evento contará com atletas de destaque na faixa-preta como Nathiely Jesus, Gustavo
Batista, Gabriel Sousa, Isaac Doederlein, Helton Júnior, Luiza Monteiro, Talita Treta,
Ronaldo Júnior, Lucas Pinheiro, Pablo Mantovani e Maidana.

E ainda, distribuirá mais de US$ 74 mil (cerca de 300 mil reais) em premiações.

O Mundial da SJJIF vai contar também com o Parajiu-Jitsu, com atletas que possuem
algum tipo de deficiência física, o Special Jiu-Jitsu, para competidores que tenham
alguma deficiência mental, e o Deaf, exclusivo para deficientes auditivos. A ideia é
conceder mais espaço e visibilidade para que essas pessoas e professores possam
propagar seu trabalho.

(Com assessoria)

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAdolescentes seriam vítimas de exploração sexual em Cuiabá; polícia apura denúncia
Próximo artigoSTF proíbe prisão em segunda instância e decisão abre caminho para soltura de Lula