Lutador de Mato Grosso participa de competição mundial de jiu-jitsu na Califórnia

Zé Eskiva treina com Lyoto Machida e promete trazer prêmio para Mato Grosso

O lutador alta-florestense José Vaz Neto, o Zé Eskiva, prepara-se para mais um mundial. Ele vai representar a Academia Black House/MMA em campeonato que ocorre na cidade norte-americana de Long Beach, Califórnia. O World Jiu-Jitsu Championship será entre os dias 8 e 10 de novembro, no salão de festas Long Beach Arena-Pacific.

O atleta mato-grossense dá voos cada vez mais altos. Depois de uma adolescência conturbada, encontrou no esporte o seu porto-seguro e hoje, tornou-se tetracampeão mundial de kickboxing, tendo conquistado 21 medalhas em sua curta carreira, sendo 11 de ouro, 6 de prata e 4 de bronze.

A trajetória é ascendente e assim, ele segue para os EUA, depois de receber orientações de Lyoto Machida, uma das lendas do MMA Mundial. “Minha meta é adquirir mais experiência no jiu-jitsu.

Muitas horas de dedicação e treinamento foram necessários para que ele chegasse até lá. E também, apoio de entusiastas visionários, como o empresário Derli Rosa, proprietário da  Ávida Construtora. A empresa é uma das que mais cresce em Mato Grosso e desponta no setor da construção. A sensibilidade e o reconhecimento da importância de investir em um talento do esporte, vem também do tempo em que foi instrutor na Central Única das Favelas, a Cufa.

World Jiu-jitsu Championship/2019

O mundial de jiu-jitsu é promovido pela Federação Internacional do Esporte Jiu-Jitsu
(SJJIF) que tem como missão unificar e organizar federações nacionais e/ou regionais. A SJJIF acredita que juntos, a SJJIF com suas Federações Nacionais e membros,
continuará a desenvolver uma rede crescente de membros afins que vislumbram maiores
oportunidades para nossos atletas e jiu-itsu brasileiro, pois acreditamos que nossos
atletas merecem igual direito à grandeza olímpica.

O evento contará com atletas de destaque na faixa-preta como Nathiely Jesus, Gustavo
Batista, Gabriel Sousa, Isaac Doederlein, Helton Júnior, Luiza Monteiro, Talita Treta,
Ronaldo Júnior, Lucas Pinheiro, Pablo Mantovani e Maidana.

E ainda, distribuirá mais de US$ 74 mil (cerca de 300 mil reais) em premiações.

O Mundial da SJJIF vai contar também com o Parajiu-Jitsu, com atletas que possuem
algum tipo de deficiência física, o Special Jiu-Jitsu, para competidores que tenham
alguma deficiência mental, e o Deaf, exclusivo para deficientes auditivos. A ideia é
conceder mais espaço e visibilidade para que essas pessoas e professores possam
propagar seu trabalho.

(Com assessoria)

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS