Lideranças políticas se reúnem e defendem união da direita em MT

Além da construção de políticas de direita, o grupo também analisou o processo eleitoral de 2022

Foto: Assessoria

Lideranças políticas e partidárias oficializaram, na noite desta sexta-feira (24), a criação de um movimento da direita em Mato Grosso, que visa unir os partidos alinhados com as pautas defendidas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e construir uma agenda política para o estado, com ações concretas de defesa dos interesses da população mato-grossense.

Além da construção de políticas de direita, o grupo também analisou o processo eleitoral de 2022 e a necessidade de se unirem para fortalecer o projeto de reeleição do presidente Bolsonaro e apresentar uma alternativa política em Mato Grosso para a disputa pelo o governo do Estado e Senado, como também a ampliação de representantes da direita na Câmara Federal e Assembleia Legislativa.

“A união da direita em nosso estado é principalmente para atuarmos juntos em defesa de políticas públicas que possam melhorar a vida do cidadão. Concomitante a isso, temos a missão de defender o governo Federal, pois nunca um presidente fez tanto por Mato Grosso como o presidente Bolsonaro. Infelizmente, se apropriam das ações do governo Federal, como é o caso do governador Mauro Mendes (DEM), e atacam o presidente já pensando no processo eleitoral do ano que vem”, pontua o deputado federal e vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, José Medeiros.

Foto: Assessoria

No encontro, Medeiros apresentou as ações do governo Bolsonaro no combate à pandemia em Mato Grosso e o volume de recursos enviados para o estado. “O presidente Bolsonaro divulgou o volume de recursos enviados para o Estado de Mato Grosso no ano de 2020, mas o governador Mauro Mendes disse que é fake news. Precisamos restabelecer a verdade desconstruindo as mentiras e ataques ao governo Bolsonaro”, reforça o deputado federal.

Na reunião, que contou com a participação de dirigentes e lideranças de vários partidos, entre eles, o Podemos, PSL, PSC, Patriota, PRTB e DC, foi acordado a construção de um projeto político sem definições de nomes para a disputa eleitoral em Mato Grosso, especialmente ao governo.

“Sabemos que a nossa união é importante, mas o momento é de focar na construção de uma agenda conjunta para ajudar Mato Grosso e o país. Nosso foco, nesse momento, é o combate à pandemia e a recuperação da economia e dos empregos”, disse Medeiros, que teve sua pré-candidatura ao Senado lançada pelo presidente Bolsonaro na última segunda-feira (19).

Foto: Assessoria

Para o presidente do PSL de Mato Grosso, Aécio Rodrigues, a divisão da direita causou prejuízos ao grupo no estado e a eleição de nomes não alinhados com o presidente Bolsonaro.

“Temos os nossos interesses partidários, mas podemos convergir em nome de um objetivo maior. Sou simpático à candidatura do Medeiros ao Senado e de Reinaldo Moraes (PSC) ao governo, mas precisamos ter uma ação estratégica para ampliar a nossa representatividade em 2022”, disse o dirigente do PSL, que na reunião representou também os deputados estaduais Elizeu Nascimento (DC), Delegado Claudinei e Ulysses Moraes, ambos do PSL.

Já o ex-deputado federal e presidente do Patriota de Mato Grosso, Victório Galli, reafirmou a necessidade de organizar os partidos e deixar as diferenças políticas de lado para construir um projeto de direita vitorioso.

“Precisamos estar unidos para evitar a derrota como aconteceu na eleição suplementar para o Senado. Nós não perdemos para o agronegócio, perdemos para nós mesmos”, frisa Galli, que é líder do Patriota, partido da ex-candidata ao Senado, coronel Fernanda Rúbia.

“Em função de outros compromissos, a coronel Fernanda não pode participar desta reunião, mas garantiu presença na próxima”, informa o secretário-geral do Podemos, Dito Lucas. Ele acrescenta ainda, que na próxima reunião outros partidos e lideranças políticas serão convidadas.

O presidente estadual do PRTB, Jesse Barros, elogiou a iniciativa de unir a direita e reforçou a urgente necessidade de discutir os temas de interesse da sociedade. “Vamos trabalhar para união do grupo e para a construção desse projeto, que ultrapassa os interesses eleitorais”.

Além dos dirigentes partidários e do deputado Medeiros, participaram dessa segunda reunião do movimento de direita, o deputado estadual Gilberto Cattani (PSL), o prefeito de Campo Novo dos Parecis, Rafael Machado (PSL), o ex-vereador Abílio Júnior,o ex-vice-prefeito de Cuiabá, Niuan Ribeiro,o ex-candidato ao Senado, Reinaldo Morais (PSC), além de outras lideranças políticas do estado.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Esses aí é do grupo do negacionismo, combatem as vacinas, defendem o aglomeração e são contra o uso de máscaras. São os bolsonaristas ignorantes que não conseguiram nem eleger os seus prefeitos e vereadores nas últimas eleições para prefeito. Não precisamos desse tipo de representante.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArtista lança EP sobre amor e positividade para iluminar tempos de pandemia
Próximo artigoLei de isenção do IPVA não está “valendo” por falta de decreto