Líder de assentamento morto a tiros recebia ameaças

A área é bastante conflituosa por conta dos problemas de posse na região de Santiago do Norte

Crime ocorreu no estacionamento da sede da Prefeitura de Paratinga

O líder sem-terra Carlos Antônio dos Santos, de 51 anos, morto na manhã desta quarta-feira (07) em frente a Prefeitura de Paranatinga, vinha recebendo ameaças de ‘fazendeiros’ da região. A informação foi confirmada pela reportagem do LIVRE.

O militante Wendell Girotto do movimento 3 de Outubro afirmou que Carlos Antônio dos Santos atuava na região de Santiago do Norte, e que o assentamento em que ele vivia foi criado em novembro do ano passado. A área é bastante conflituosa por conta dos problemas de posse na região. Segundo ele, um grupo reclamava a propriedade das terras tomadas pelos assentados ligados a Carlos.

“O que a gente sabe é que não só ele, os outros trabalhadores também vinham sendo ameaçados desde que as terras foram ocupadas. E tudo fica pior neste período em que os fazendeiros abandonam o discurso de ódio para agir. Mais um trabalhador que perdemos”, comentou Girotto.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) diz não ter sido informada sobre o óbito, nem quais foram as motivações do crime. A Polícia Judiciária Civil afirmou que a morte de Carlos já está sendo investigada.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLíder de assentamento morto a tiros recebia ameaças
Próximo artigoCade aprova com restrições a aquisição da Monsanto pela Bayer

O LIVRE ADS