Líder comunitário faz “filme” sobre o Pedra 90 pedindo agência bancária

Vídeo viralizou, mobilizou políticos e moradores já têm reunião marcada com representante de banco

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Se o bairro Pedra 90, em Cuiabá, fosse considerado um município, seria o 7º maior de Mato Grosso em número de habitantes. Pouco mais de 90 mil pessoas moram na localidade que cresceu em termos de população e comércio, mas que ainda sofre com falta de algo considerado fundamental: uma agência bancária.

É o que afirma um mini documentário produzido por um líder comunitário do bairro, que é um dos mais famosos da Capital. O filme é parte da “estratégia” para sensibilizar quem tem o poder de resolver o problema.

Há dois anos, moradores e comerciantes da região começaram a se mobilizar. Os políticos que têm acesso as instituições financeiras eram os alvos.

“Na verdade, os políticos sempre vinham aqui, prometiam que iam ajudar e nunca dava em nada. E a realidade é que aqui não tinha nenhuma instituição bancária. O pessoal tinha que sair do Pedra 90, ir no Coxipó ou no Tijucal, para pagar boletos, sacar dinheiro e outras coisas”, conta o um dos organizadores do movimento e líder comunitário, Mario Benevides.

O primeiro resultado veio há pouco mais de um ano, quando o bairro ganhou uma agência lotérica. Mas ainda não era suficiente para a demanda. Foi então que Benevides teve a ideia de criar um documentário sobre a realidade do Pedra 90. O vídeo conta com depoimentos de moradores e comerciantes favoráveis à implantação do banco.

O movimento ganhou adeptos, Benevides até criou um grupo de WhatsApp, atualmente com 150 participantes, e os políticos se interessaram. Paralelo a isso, graças às redes sociais, o vídeo viralizou e o sonho, agora, parece estar próximo de se tornar realidade.

Nesta segunda-feira (18), os moradores vão se reunir com o representante de um dos bancos interessados em abrir uma agência. Benevides está confiante. Acredita que tem 90% de chances de dar certo.

Morador e comerciante da região, Gesiel Reis, viu com os próprios olhos o crescimento do bairro. Nunca morou em outro local e até fez sua vida profissional abrindo uma agência de viagens no Pedra 90 que, hoje, emprega cinco funcionários, todos moradores da região. Na opinião dele, uma agência bancária ia gerar desenvolvimento para o bairro.

“Muitas pessoas percorrem 35 km até o Centro de Cuiabá para sacar o salário ou a aposentadoria e parte desse dinheiro acaba ficando por lá. Quanto nosso comércio não poderia lucrar se as pessoas pudessem, todos os dias, sacar esse dinheiro e fazer as transações bancárias aqui?”, questiona.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHQs brasileiras ganham visibilidade e prêmios no exterior
Próximo artigoMadeireiros passam a conviver com período de “piracema” florestal

O LIVRE ADS