Lava Jato: TRF-4 revoga prisão de Eduardo Cunha

A decisão foi encarada como um possível desdobramento jurídico da decisão do STF que anulou as condenações de Lula

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) revogou, nesta quarta-feira (28), a prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB). Com a decisão, o ex-deputado vai deixar de usar tornozeleira eletrônica.

A decisão é encarada como consequência jurídica das decisões do Supremo Tribunal Federal, que anularam a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e tornaram o líder socialista elegível.

De acordo com os advogados de Cunha, a decisão seria um “ato de justiça”.

“Finalmente a Justiça começa a ser concretizada”, afirmaram os advogados Ticiano Figueiredo, Pedro Ivo Velloso e Rafael Guedes de Castro.

Prisão de Eduardo Cunha

O ex-presidente da Câmara foi preso preventivamente em outubro de 2016, por ordem do então juiz Sergio Moro.

Em março de 2017, o político foi condenado a 15 anos e quatro meses de prisão por Moro, em regime fechado, pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, em desdobramentos da Operação Lava Jato.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDaniel Silveira virá réu por “crimes contra a segurança nacional”
Próximo artigoMortes por covid-19 caem 25% em 10 dias em Mato Grosso