Justiça põe fim a embate judicial pela presidência da Fiemt e confirma posse de Gustavo de Oliveira

Após 19 decisões, por unanimidade, o pleno do TRT decidiu pela legalidade do processo eleitoral

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Após 19 decisões, nesta terça-feira (23), o Tribunal Regional do Trabalho em Mato Grosso (TRT) finalmente pôs fim à disputa judicial travada em torno da eleição par escolha da nova diretoria da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt). Por unanimidade, a primeira turma do TRT decidiu pela legalidade do processo eleitoral e confirmou a posse de Gustavo de Oliveira como presidente da entidade.

A judicialização da eleição do Sistema Fiemt teve início dez dias depois de os dois candidatos registrarem a candidatura: o ex-secretário estadual de Fazenda Gustavo de Oliveira pela situação e o empresário Kennedy Sales pela oposição.

Em 13 de agosto, com 24 votos, dentre os 32 válidos, Gustavo de Oliveira foi declarado eleito presidente da Fiemt, mas o embate judicial continuou e uma decisão de primeiro grau tornou sem efeito a eleição, bem como declarou o recém-eleito presidente, inelegível.

No dia 29 de agosto, data em que havia sido proferida a última decisão, a Fiemt havia conseguido reverter a suspensão da eleição, mas ainda não tinha garantido a posse do ex-secretário. Isso porque, ao protocolar o recurso direto em segundo grau, a entidade havia assegurado apenas a suspensão dos efeitos da decisão do juiz da Sexta Vara do Trabalho de Cuiabá, Aguimar Martins Peixoto.

Ou seja, a decisão quanto a posse ou realização de nova eleição ainda precisava passar pelo crivo do pleno do Tribunal Regional do Trabalho, o que ocorreu nesta terça-feira, confirmando a posse de Gustavo de Oliveira realizada em 28 de novembro.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFachin acata pedido de Dodge e abre investigação individual contra Wellington Fagundes
Próximo artigoMPF pede reprovação das contas de Maluf por pagamentos com recursos clandestinos