Justiça mantém prisão de pai que engravidou a filha de 11 anos

Criança era violentada desde os nove anos e estava grávida de cinco meses quando sofreu aborto; bebê foi jogado no rio pelo pai

Em audiência de custódia na tarde desta quinta-feira (18), a Justiça de Mato Grosso decidiu converter a prisão em flagrante do frentista Cleiton da Paixão Guimarães, de 39 anos, em prisão preventiva. O homem, confessadamente, estuprou e engravidou a própria filha, uma menina de 11 anos, em Cuiabá.

A decisão é do juiz plantonista Marcos Faleiros, da 11ª Vara Criminal de Cuiabá, já que o Tribunal de Justiça de Mato Grosso adiantou o feriado de Sexta-feira Santa (19).

A prisão do homem aconteceu na quarta-feira (17), no Bairro Itapajé, em Cuiabá, depois que a filha dele, de 11 anos, passou mal após um aborto espontâneo e precisou de atendimento médico.

Na delegacia, Cleiton confessou que abusava sexualmente da menina desde que ela tinha nove anos de idade. Na quarta-feira, grávida de cinco meses do próprio pai, a criança sofreu um aborto espontâneo e foi socorrida na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Bairro Pascoal Ramos, pela tia e pela avó.

Durante o procedimento médico, a equipe percebeu que as características do quadro da criança era de aborto. Então, acionaram a Polícia Militar e o Conselho Tutelar. Em uma conversa ainda na unidade médica, a menina confessou ser vítima de estupro. A mãe negou ter conhecimento do crime.

Ao ser questionada por policiais sobre o bebê, a menina disse que seu pai teria colocado o feto em um sacola e saído de motocicleta. Ao voltar, o agressor já não estava mais com a sacola.

À polícia, o homem confessou que jogou o feto no Rio Coxipó. Depois, voltou para casa.

Cleiton ficou preso na delegacia até o início da tarde desta quinta-feira, quando foi para a audiência na qual poderia ser colocado em regime semiaberto. Não foi o caso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS